O deputado e presidente da Câmara Eduardo Cunha acaba de aceitar o principal pedido, iniciando o processo de Impeachment contra a presidente Dilma Rouseff. Em entrevista coletiva neste início da noite de quarta-feira (2), o presidente da Câmera disse proferir a decisão, acolhendo a denúncia feita por partidos oposicionista contra a presidente.

Desde o início do ano, inúmeros pedidos de #Impeachment da presidente Dilma Rouseff podem ser vistos em postagens nas redes sociais. Ao mesmo tempo, muitos cidadãos se perguntam o que ocorrerá caso a presidente Dilma seja afastada do seu cargo.

Saiba agora o que poderá acontecer durante esse processo.

Publicidade
Publicidade

Sabemos que a primeira ação a ser feita para haver o Impeachment foi à aprovação do Presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha, que aconteceu agora. Para haver uma continuação do pedido é necessário que dois terços dos 513 deputados votem a favor do processo de Impeachment. Sendo assim, se 342 votos forem positivos, o processo será enviado para o julgamento no Senado onde também haverá a necessidade de que dois terços dos senadores acolha o pedido. Nesse período, a sessão que afastará a presidente do seu cargo é presidida pelo Supremo Tribunal Federal. Depois de acolhido pelo Senado, o processo deverá ser realizado em até 180 dias.

Caso a presidente #Dilma Rousseff sofra o Impeachment, ela perderá o mandato imediatamente e ficará sem poder se candidatar por oito anos a qualquer cargo; o mesmo que ocorreu com Fernando Collor, que sofreu Impeachment em 1992, e hoje é senador após esperar esses oito anos.

Publicidade

Se o processo de Impeachment da Presidente Dilma Rousseff for julgado e aprovado, quem assumirá será o atual vice-presidente, Michel Temer, podendo ficar até ao final dos quatro anos de mandato. Caso Temer, por algum motivo, seja afastado desse cargo até à metade do mandato, outra eleição para a presidência deverá ser realizada. Já se o Vice for afastado após a metade do mandato, as eleições serão votadas apenas pelos membros do Congresso Nacional.

O próximo que poderá ser eleito será o atual presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha. Se Cunha também for afastado ,o próximo na "linha da sucessão" será o presidente do Senado, Renan Calheiros. #Crise no Brasil