A terça-feira, 8, foi agitada para a política nacional. Logo pela manhã a Polícia Federal realizou buscas na residência oficial de #Eduardo Cunha. No mesmo dia, Renan Calheiros também devia passar por buscas em sua casa, mas o STF barrou a decisão.

Horas após a PF cumprir o mandado na casa de Cunha, o parlamentar conferiu uma entrevista coletiva em que disse estar tranquilo sobre o ocorrido e, dentre muitas coisas, declarou que a Operação Lava Jato tem poupado políticos do #PT e mirado em representantes do PMDB.

Desde o começo do ano, Dilma Rousseff e o PMDB estão mantendo relações estreitas. Inclusive, o vice presidente da república, que é do PMDB, tem se encontrado com aliados de Aécio Neves e opositores de Dilma dentro do partido, bem como a carta pessoal que o político enviou para Dilma e acabou vazando na imprensa, com conteúdo que mostrou que o relacionamento entre ele, o PT e a presidente nunca foi dos melhores e atualmente está ainda mais fragilizado.

Publicidade
Publicidade

Após Eduardo Cunha aceitar o pedido de Impeachment protocolado por Hélio Bicudo, jurista renomado e um dos fundadores do PT, a presidente apareceu em rede nacional fazendo acusações ao presidente da Câmara dos Deputados. Da mesma forma, parlamentares petistas têm tentado ofuscar o processo de impeachment realizando acusações contra Cunha, bem como dando mais publicidade do que deviam ao processo de cassação do parlamentar.

Enquanto a mídia foca em uma possível cassação, o PT já prepara o pedido de arquivamento do impeachment junto ao STF e afirma estar otimista com a possibilidade de deferimento do pedido petista, uma vez que se Dilma sofre constantes derrotas na Câmara dos Deputados devido a maioria dos parlamentares pertencerem a oposição. Por outro lado, o PT e a presidente possuem aliados e amigos pessoais dentro do STF.

Publicidade

Bode expiatório

Segundo Eduardo Cunha, ele foi 'escolhido' para ser investigado em meio ao caótico cenário político atual. O parlamentar disse que todos os dias são mostradas as 'roubalheiras' do PT, mas de repente decidiram investigar alguém do PMDB para mudar o foco. Deixou claro que é inocente, que não há provas contra ele e que está tranquilo com as buscas realizadas em sua casa, que não irá renunciar ao cargo e acusou o PT de ser o autor do maior assalto que o Brasil já sofreu, a corrupção na 'Petrobras'. #Lava Jato