Nem de longe os protestos pelo Brasil neste domingo (13) lembraram as manifestações de datas pretéritas, como, por exemplo, as realizadas no último dia 16 de agosto. Em número bastante reduzido, os brasileiros foram às ruas das principais capitais do país pedir o #Impeachment da presidente da República, Dilma Rousseff.

Para a oposição, não há motivos para lamentações. Os mais otimistas fizeram a leitura de que os protestos de domingo serviram como um "esquenta" para a cassação de mandato de Dilma. Para o deputado Mendonça Filho, líder do DEM, o dia foi válido.

"Foi um esquenta. E supriram o esperado. Isso será retomado em janeiro.

Publicidade
Publicidade

E temos a convicção que o processo de impeachment tomará força depois do Carnaval, que aí entrará a votação na Câmara dos Deputados. Hoje (domingo) vimos que existe o apoio, mas que será preciso ainda mais apoio das ruas para a concretização do impeachment. A rua é decisiva", destacou o político, que participou de atos no Recife.

Bruno Araújo, deputado do PSDB de Pernambuco, também participou dos protestos na cidade e disse que a sociedade segue mobilizada.

"Mesmo nessa época de fim de ano, a sociedade mostrou que segue focada no afastamento da presidente Dilma Rousseff. Isso nos faz acreditar que os protestos ganharão força depois do recesso parlamentar", pontuou Araújo. #Manifestação #Dilma Rousseff