#Eduardo Cunha do PMDB e presidente da câmara aceitou o pedido de #Impeachment contra a presidente #Dilma Rousseff do PT (Partido dos Trabalhadores) e deu início ao processo que poderá levar a cassação da presidente da república.

As forças começam a se alinhar e dão início aos movimentos contra e pró Dilma, no congresso começa a divisão dos deputados e partidos. O vice-presidente Michel Temer demonstrou não ser tão a favor da chefe de estado, prova disso é a carta enviada onde cita a sua insatisfação diante de atitudes tomadas por Dilma.

Temer controla o PMDB e o partido poderá ser o divisor de águas na votação para que se autorize a abertura do processo de Impeachment.

Publicidade
Publicidade

Isso poderá implicar em sua ascensão como presidente do país, caso Dilma seja cassada e tenha que abandonar o poder.

A POPULAÇÃO INSATISFEITA

Diante da instabilidade econômica, inflação alta, juros exorbitantes, aumento nos preços da gasolina, etanol, gás, e fatores sociais como o aumento da violência, a insatisfação da população cresce, o que ocasiona o baixo índice de popularidade da presidente.

Com a probabilidade do Impeachment, a população se mobilizará para sair às ruas e está marcado para o dia 13/12 um movimento popular que tem o apoio do MBL (Movimento Brasil Livre), e o VPR (Vem Pra Rua). Se ocorrer a abertura do processo de Impeachment, outras manifestações ocorrerão, basta apenas um sinal de sim.

A  ACELERAÇÃO DO PT PARA IMPEDIR O PROCESSO DE IMPEACHMEANT

O PT (Partido dos Trabalhadores) diante da instauração inicial do processo de Impeachment, já cria estratégias de defesa, para tentar barrar o andamento do processo.

Publicidade

De acordo com Rui Falcão (presidente do PT), o partido fará um pedido judicial ao STF (Supremo Tribunal Federal) e com o apoio dos deputados da base e aliados, tentará impedir que o processo se inicie.

Outra estratégia é tentar cancelar o recesso parlamentar e votar o mais rápido possível no processo aberto do Impeachment, com isso, se evitaria que transcorresse o tempo até o retorno dos parlamentares, que se daria em fevereiro. Essa articulação evitaria os movimentos nas ruas contra Dilma, pois a pressão do povo poderia influenciar os deputados a favor se tornar opostos a presidente. O próximo ano é de eleições e a população se manifestará com mais fervor e a oposição estaria junto.

O VICE-PRESIDENTE MICHEL TEMER PODERÁ INFLUENCIAR NO PROCESSO CONTRA DILMA?

Uma carta do vice-presidente foi enviada a Dilma Rousseff, e o seu conteúdo demonstra a insatisfação de Temer, ele desabafou e colocou sua voz nas palavras da mensagem. Diante dos fatos, há a incerteza se os deputados do PMDB (partido que ele lidera) votarão a favor ou contra a abertura do Impeachment.

Publicidade

A população espera que o melhor aconteça para o Brasil, é preciso mudanças nos setores, principalmente no econômico. O país tem que voltar a crescer e, para que isso ocorra, é preciso um governo que estabeleça condições nos setores e uma reforma tributária urgente.

Nesta terça-feira, 08, aprovaram a chapa alternativa com deputados da oposição para integrar a comissão especial no processo de Impeachment contra a presidente Dilma Rousseff. E o nome é “Unindo o Brasil”, formado por deputados de oposição e dissidentes da base do governo.