Após o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), ter aceito o pedido de impeachment na última quarta-feira (2), a presidente #Dilma Rousseff e sua base de governo iniciaram a busca por apoio na Câmara dos Deputados e Senado para enterrar o processo o mais rápido possível.

Mas com uma base já deteriorada e cada vez mais infiel, a presidente Dilma se voltou para os governadores aliados em busca de apoio. O Nordeste segue sendo a carta na manga do Governo. Na última quinta-feira (3), um dia após o anúncio feito por Cunha, oito dos nove governadores da Região assinaram uma carta de repúdio ao impeachment, apenas Renan Filho (PMDB-AL) não participou.

Publicidade
Publicidade

A reportagem da Folha de S. Paulo entrou em contato com todos os 27 governadores dos estados brasileiros para saber o que pensam sobre o processo de impeachment que segue rito de tramitação na Câmara dos Deputados. 15 se disseram contra o pedido de impeachment, nove preferiram não se manifestar, dois não atenderam a reportagem e apenas um falou claramente ser a favor do impeachment.

Vejo como ficou o mapa de apoio à presidente Dilma:

Acre – Tião Viana (#PT)

Amapá – Waldez Góes (PDT)

Tocantins – Marcelo Miranda (PMDB)

Maranhão – Flávio Dino (PC do B)

Piauí – Wellington Dias (PT)

Ceará – Camilo Santana (PT)

Rio Grande do Norte – Robinson Faria (PSD)

Paraíba – Ricardo Coutinho (PSB)

Pernambuco – Paulo Câmara (PSB)

Alagoas – Renan Filho (PMDB)

Sergipe – Jackson Barreto (PMDB)

Bahia – Rui Costa (PT)

Distrito Federal – Rodrigo Rollemberg (PSB)

Minas Gerais – Fernando Pimentel (PT)

Rio de Janeiro- Luiz Pezão (PMDB)

Veja o único governador que anunciou declaradamente ser a favor do impeachment:

Mato Grosso – Pedro Taques (PSDB)

Alguns governadores não quiseram se manifestar:

Amazonas – José Melo (Pros)

Pará - Simão Janete (PSDB)

Goiás – Marconi Perillo (PSDB)

Mato Grosso do Sul – Reinaldo Azambuja (PSDB)

Espírito Santo – Paulo Hartung (PMDB)

São Paulo – Geraldo Alckmin (PSDB)

Paraná – Beto Richa (PSDB)

Santa Catarina – Raimundo Colombo (PSD)

Rio Grande do Sul – José Sartori (PMDB)

Apenas dois governadores não responderam as ligações da reportagem:

Roraima – Suely Campos (PP)

Rondônia – Confúcio Moura (PMDB)

Para a surpresa de muitos, mesmo o PSDB fazendo oposição a Dilma, apenas um governador tucano declarou abertamente ser a favor do impeachment.

Publicidade

Nomes como Geraldo Alckmin, possível candidato a presidência em 2018, e Beto Richa, um dos nomes fortes do PSDB na região Sul, preferiram ser mais contidos em suas colocações.

Alckmin disse ser preciso seguir o rito legal do processo e afirmou que “impeachment não é golpe”, como os petistas vem defendendo. Richa disse que “ninguém é a favor ou tem o prazer de defender o afastamento. Até porque somos democráticos e respeitamos os resultados das urnas”.