O #Impeachment fez parte do dia a dia, manchetes de jornais, análises políticas e conversas dos brasileiros nos últimos meses. Há quem concorde, há quem discorde. Apesar de tantas opiniões, ainda há muita dúvida sobre o assunto. A maioria não sabe, por exemplo, quem assumiria caso a presidente #Dilma Rousseff sofresse impeachment (e foi daí que surgiu a famosa piada "Quem assume é o Aécio?").

Ainda essa semana, Eduardo Cunha, presidente da Câmara, tinha ameaçado abrir o processo de impeachment caso o PT não o ajudasse a não ter o mandato cassado por causa das denúncias de corrupção. A bancada do Partido dos Trabalhadores no Conselho de Ética era composta por três pessoas, que seriam decisivas na votação sobre o destino de Cunha.

Publicidade
Publicidade

Após muita dúvida, o PT acabou informando que votaria contra Cunha e a favor de sua cassação por causa da pressão da opinião popular. 

Após o PT assumir que votaria a favor da cassação de Cunha, o presidente da Câmara deflagrou o processo de impeachment contra Dilma, aceitando o pedido de Hélio Bicudo, um dos fundadores do PT.

Caso Dilma Rousseff sofra impeachment, você sabe o que acontece em seguida? Veja abaixo tudo o que pode acontecer durante o processo.

Cunha, presidente da Câmara, tem o poder de decidir se o impeachment é arquivado ou encaminhado para os parlamentares. Cunha já havia arquivado alguns pedidos, e agora aceitou um deles. Agora, o próximo passo é o pedido receber votos favoráveis de dois terços de todos os 513 deputados para continuar em andamento. Ou seja, pelo menos 342 votos.

Publicidade

Em seguida, o processo é levado para o Senado. Lá, também precisaria de dois terços de votos favoráveis dos 54 senadores. A sessão é feita pelo presidente do STF e deve ocorrer até 180 dias depois que chegar ao Senado. Durante esse tempo, Dilma teria que ficar afastada do cargo.

Se após essas votações Dilma sofrer o impeachment, ela não pode se candidatar a nenhum cargo durante oito anos. Isso aconteceu com Fernando Collor, que sofreu impeachment, ficou os anos em que não podia se candidatar longe da política, e hoje é senador.

Se a Dilma sair, quem assume a presidência do Brasil?

Se a Dilma sofrer impeachment, quem assume automaticamente o seu cargo é Michel Temer, do PMDB-SP, atual vice-presidente da República. Ele ficaria no cargo até o fim do mandato.

Se Michel Temer também acabasse sendo afastado até o final de 2016, que representa o final da primeira metade do mandato, novas eleições seriam convocadas. Se Temer fosse afastado a partir de 2017, as eleições seriam indiretas. E #Eduardo Cunha é a próxima pessoa na linha de sucessão de Michel Temer enquanto as eleições acontecessem.

Por fim, se Cunha também for afastado, quem assumiria a presidência seria Renan Calheiros, do PMDB-AL.