Nem oposição, nem governistas. Ninguém se entende na Câmara dos Deputados, no dia de votação da chapa que vai formar a comissão que vai decidir sobre o pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Conforme o portal G1, a confusão começou quando o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, após ler a relação dos parlamentares que iriam integrar as chapas, decidiu que a votação seria secreta. Os deputados da base governista protestaram, dizendo que Cunha deveria aguardar questões de ordem. Como o presidente da Câmara rejeitou o pedido, começou o empurra-empurra.

Alguns deputados do Partido dos Trabalhadores (PT) quebraram urnas, desligaram outras e afirmaram que iriam obstruir a votação.

Publicidade
Publicidade

O que se viu, a partir daí, foi xingamentos e confrontos físicos, dignos de briga de rua, entre moleques. O deputado Chico Alencar, do PSOL-RJ, exaltado, disse que voto secreto é coisa de covarde. Aos brados, disse que Cunha é golpista.

O desentendimento foi tanto, que foram formadas duas chapas. Uma chapa, dita oficial, foi composta por 49 deputados, indicados por 20 líderes de partidos. E uma outra, a chapa alternativa, ou chapa 2, formada por 39 membros de 13 partidos, não satisfeitos com a indicação oficial. O presidente Cunha validou ambas, permitindo que todos votassem.

Concluída a votação e contados os votos, ganhou a chapa formada por dissidentes do #Governo e por oposicionistas, o que foi motivo de muita comemoração pelos membros da chapa alternativa. A chapa 2, da oposição, venceu com 272 votos, e foi eleita para compor a comissão especial da Câmara, que vai analisar o pedido de #Impeachment da presidente da República, Dilma Rousseff.

Publicidade

Como nem todas as vagas foram preenchidas, Cunha comunicou a todos que a eleição complementar ocorrerá amanhã. Os nomes dos parlamentares deverão ser indicados até amanhã, quarta-feira, 9, às 14 horas.

A sessão terminou com governistas gritando que é o início do golpe. Oposicionistas dizem que essa foi mais uma manobra de Cunha e seus aliados e não reconhecem a chapa alternativa. Após concluída a votação, começaram os gritos de palavras de ordem.  #Eduardo Cunha