Os advogados de defesa de José Dirceu, ex-ministro da Casa Civil, no governo Lula, se movimentam para conseguirem em tempo hábil, o adiamento do depoimento de seu cliente, que estaria marcada para sexta-feira, dia 29, em mais um processo que tramita contra o mesmo na Justiça. Tudo isto por que Renato Duque, ex-diretor da Petrobras e réu no processo que investiga o esquema de pagamento de propinas na estatal, ainda não fechou o acordo de delação premiada, o qual o nome do ex-ministro aparece como principal acusado. Os advogados questionam o fato de que as declarações feitas pelos réus devem ser feitas antes do acusado.

O acordo de delação premiada que pode adiar o depoimento de José Dirceu

Os advogados de defesa de José Dirceu ingressaram com um pedido de adiamento do seu depoimento.

Publicidade
Publicidade

Motivo: a demora de Renato Duque, que se encontra detido pela Lava Jato, em fechar um acordo de delação com a Justiça. No seu último depoimento ao juiz Sérgio Moro, Duque manteve-se calado, por orientação de seus advogados, já que o réu estaria negociando os termos do acordo. O ex-executivo é apontado como a pessoa que foi indicada pelo ex-ministro para ocupar um dos cargos de direção dentro da Petrobras

A ação é questionada pelos advogados de Dirceu

A questão está envolta no seguinte aspecto: José Dirceu é objeto de acusação no processo. Já Duque, iria depor como réu. Por ordem lógica, os depoimentos deveriam se tomados primeiro dos réus. Este ponto é questionado pelos advogados de José Dirceu, pois como o ex-executivo ainda não homologou a sua delação, o depoimento do ex-ministro deveria ser adiado até que Renato apresente seus termos.

Publicidade

Deste modo, o acusado teria como arregimentar a sua própria defesa em tempo hábil.

Os advogados de José Dirceu entendem que isto pode caracterizar uma inegável causa para se proceder a uma inversão processual. O fato já seria suficiente para se pedir a nulidade do processo. Eles ainda protocolaram um pedido ao juiz Sérgio Moro, para que o magistrado possa esclarecer se há um acordo de delação premiada em curso, por parte da defesa de Renato Duque junto ao Ministério Público federal (MPF). Eles condicionaram tal resposta ao pedido de adiamento do depoimento de seu cliente, somente após a conclusão do acordo de delação de Renato Duque.

O depoimento de José Dirceu marca o fim de uma das etapas da Operação #Lava Jato, apelidada de Pixuleco 2, iniciada em agosto de 2015 e que teve seu ápice com a prisão do ex-ministro. Os advogados justificaram ainda que o ex-ministro já estaria se planejando para falar em juízo e responder a todas as acusações que são imputadas ao mesmo. #Corrupção #Petrolão