Lula não está satisfeito de ter que ficar depondo novamenter, e por isso a defesa do ex-presidente enviou à Justiça Federal um comunicado informando que Luiz Inácio #Lula da Silva já disse tudo que sabia sobre a "compra de medida provisórias" e por isto queria ser dispensado de novos depoimentos. O pedido de reavaliação da necessidade de Lula ter que dar novo depoimento está agora sendo analisado, mas talvez Lula tenha que contar mais do que sabe. Seu próximo depoimento será como testemunha do lobista Alexandre Paes dos Santos.

O lobista foi acusado de atuar na viabilização da Medida Provisória 471, que foi editada por Lula quando era presidente, mas a defesa está negando tudo. Lula teria que depor novamente na próxima segunda-feira, dia 25, porém o depoimento está temporariamente suspenso porque o advogado informou que o cliente não chegou a ser intimado.

Publicidade
Publicidade

O Juiz verificou a questão e constatou que o erro foi mesmo cometido pela Justiça, e temporariamente suspendeu o processo para resolver o caso.

Marcelo Leal, advogado do lobista, já está analisando o pedido feito por Lula, para não ter mais que dizer nada neste caso, mas não há nada definido ainda. O advogado poderá manter a decisão anterior de arrolá-lo como testemunha, pois é importante que Lula diga à Justiça tudo que sabe, mas pode ser também que o petista seja dispensado.

O juiz do caso deu um prazo para que Marcelo Leal tome a decisão, que poderá ser revelada nas próximas horas.

O ex-presidente Lula está preocupado porque o advogado está disposto a fazer tudo que for preciso para defender os interesses de seu cliente. Se ele considerar que o depoimento de Lula seja uma forma de ajudar o lobista, então o ex-presidente vai ter que depor novamente.

Publicidade

Marcelo Leal chamou de "ridícula" a prisão de seu cliente e reclama que até agora não conseguiu acesso à cópia de defesa do mesmo. O advogado informou que o processo já foi levado à Papuda, que é a penitenciária onde Alexandre Paes está preso, mas segundo ele, os agentes censuraram algumas partes do texto.

Em outra tentativa feita pelo advogado, a Justiça enviou um CD para seu cliente, mas como Alexandre está preso, sem computador, não há como verificar o conteúdo contido neste CD. Demorou um certo tempo até que fosse obtida permissão para que um computador fosse utilizado e quando o CD foi conferido, tinha apenas parte da defesa. #Corrupção #Crise no Brasil