O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), desde meados do ano passado, vem sendo investigado por envolvimento com a Operação Lava Jato por denúncias de recebimento de propina. O lobista Fernando Baiano foi um dos que citaram Cunha, afirmando que entregou entre R$ 1 milhão e R$1,5 milhão no escritório do deputado, no Centro do Rio de Janeiro, em 2011, a quantia para Altair a mando do parlamentar. Porém, quem seria Altair?

O jornal O Globo fez uma pesquisa e descobriu que se trata de Altair Alves Pinto, amigo pessoal de Eduardo Cunha desde a década de 80. O homem de 67 anos saiu do anonimato por sua ligação com o presidente da Câmara dos Deputados, mas, segundo O Globo, segue levando a mesma vida antes de ter seu nome exposto na grande mídia.

Publicidade
Publicidade

Ligação profissional

O contato profissional de Cunha e Altair se deu em um dos primeiros cargos públicos ocupados pelo então peemedebista. #Eduardo Cunha presidiu a Companhia de Habitação do Rio (Cehab) entre os anos de 1999 e 2000, já nessa época teve o nome envolvido em escândalos, o que culminou com sua saída do órgão. O amigo, nesse período, era contratado da Cehab.

Em 2001, Eduardo Cunha se elegeu deputado estadual no Rio de Janeiro pelo PPB – atual PP. Ele foi escolhido como o líder do partido na Assembleia Legislativa do Estado, e com muita benevolência empregou Altair como funcionário da liderança do PPB.

No ano seguinte, Cunha se elegeu deputado federal. Altair foi exonerado de suas funções, porém, em 2003, foi recontratado, agora para o gabinete do então deputado estadual Fábio Silva, um dos aliados de Cunha.

Publicidade

Altair ganhava um salário de R$ 7,628 até ser exonerado do cargo, em dezembro do ano passado, após a PF entrar em seu apartamento.

O famoso táxi encontrado em uma das residências de Eduardo Cunha está em nome de Altair Alves Pinto. Um modelo novo custa algo em torno de R$ 200 mil. Na prestação de contas de 2014, aparece que Altair alugou carros para Cunha, e por esse serviço recebeu R$ 28,7 mil.

Altair tem empresas em seu nome e no de familiares. Todas constam em inquérito que investiga Eduardo Cunha. #Congresso Nacional