Em um café da manhã, nesta quinta-feira, dia 7, no Palácio do Planalto e oferecido aos jornalistas, a presidente #Dilma Rousseff falou sobre as metas do seu #Governo para o ano de 2016. Um dos principais objetivos seria a urgência da reforma na previdência como forma de se atingir o equilíbrio nas contas públicas e a volta do país ao seu crescimento econômico. A presidente diz que estuda medidas a serem implementadas como forma de se ajustar a crescente demanda de aposentadorias no país.

O Brasil não precisa de mágicas, precisa de reformas e ajustes urgentes

Falando aos jornalistas presentes, a presidente disse que não há fórmulas mágicas para que se resolver os problemas do país.

Publicidade
Publicidade

A solução virá  quando for atingido o equilíbrio fiscal nas contas do governo. Dilma frisou que é preciso agir em duas frentes: a aprovação da CPMF e a reforma da previdência.

' É preciso modificar a idade de aposentadoria'

Com relação à reforma na previdência, a presidente justificou, de forma bastante objetiva, que seria preciso mexer na idade mínima para requerer o benefício. Ela considerou o fato de que o trabalhador brasileiro está se aposentando aos 55 anos. Esta idade é a média para homens em vigor no país atualmente. Levando em consideração o aumento do envelhecimento d população, Dilma argumenta que os trabalhadores que ainda estão na ativa, irão trabalhar cada vez mais para sustentar mais gente que não trabalha . Este assunto deverá passar por discussões, incluindo fóruns da própria previdência, para que mais opiniões sejam consideradas.

Publicidade

As ações que o governo planeja para executar a reforma na previdência

Dilma afirmou que o governo estuda as mudanças e analisa quais parâmetros serão alterados. A decisão está em considerar as mudanças diretas na idade mínima a ser considerada ou o que determina a regra aprovada recentemente, a 85/95, que é móvel e progressiva. Entretanto, Dilma assegurou que os direitos adquiridos em períodos anteriores à futura implantação da reforma, não serão alterados.

 A presidente espera que os partidos de oposição ao seu governo possam compreender a importância da reforma previdenciária para o Brasil. O recado é para que possam pôr as diferenças de lado e levem em consideração o  compromisso comum com o bem do país.  #PT