A defesa do lobista Alexandre Paes dos Santos protocolou um pedido para que a presidente Dilma Rousseff prestasse declarações na operação Zelotes em defesa de seu cliente e foi acatado pelo Juiz da décima vara Federal de Brasília, Vallisney de Sousa Oliveira, que determinou que a presidente Dilma terá até o dia cinco de fevereiro para fazer sua manifestação, que será por escrito. Essa data foi estabelecida para todos os magistrados que tem foro privilegiado e que foram relacionados, como Dilma Rousseff, como testemunhas no processo que investiga o pagamento de propinas durante o governo Lula em troca de vantagens fiscais.

Entre os congressistas que tem foro privilegiado e foram arrolados para depor na operação Zelotes estão, o ex-senador e atual ministro da educação, Aloizio Mercadante (PT-SP), como também dos senadores José Agripino Maia (DEM-RN), Tasso Jereissati (PSDB-CE) e Walter Pinheiro (PT-BA), e os deputados José Guimarães (PT-CE) e José Carlos Aleluia (DEM-BA).

Publicidade
Publicidade

Haja visto que apenas a presidente Dilma Rousseff tem o direito de enviar suas alegações por escrito, por ser uma prerrogativa que é garantida ao presidente da República. Os demais poderão marcar data e hora para apresentar seus argumentos e poderá ser em seus gabinetes, pois seus depoimentos terão que ser presenciais.

Esse prazo que foi determinado pelo juiz Vallisney de Sousa Oliveira tem como intuito apenas uma forma de agilizar a ação penal, pois as testemunhas poderão acatar ou não essa decisão, já que não há punição prevista por lei sobre o descumprimento dessa ordem. Nessa segunda-feira (26) foi retomado os depoimentos das testemunhas desse processo pela Justiça Federal. Por motivos técnicos, que já vem acontecendo pela segunda vez em somente vinte e quatro horas, na gravação da audiência, acabou dificultando o andamento da sessão, que só teve seu início por cerca das dez horas e trinta e estava prevista para iniciar às  nove horas da manhã. 

Com agenda lotada para articular a sua permanência na presidência, vale saber se Dilma terá tempo para protocolar suas declarações.

Publicidade

  #Corrupção #Investigação Criminal