A economia do Brasil não vai bem. A #Inflação está alta, os juros exorbitantes e os produtos caros pesam no bolso do consumidor. Diante do quadro e com os indicadores nada favoráveis, a presidente Dilma Rousseff tentará melhorar a situação e para que isso aconteça, ela implantará este mês projetos que mudem o panorama da economia.

O ajuste na economia não será modificado, ele é necessário para equilibrar as finanças do governo, o projeto será o "novo PAC" e tem como meta alavancar o setor da construção civil que está em baixa.

O PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) foi criado pelo presidente Lula, quando estava no poder em 2007.

Publicidade
Publicidade

O seu objetivo foi melhorar a economia do país e ajudar a colocar Dilma Rousseff (ministra) na presidência do país.

Com esse novo projeto o setor da construção civil poderá melhorar o desempenho através de uma maior demanda, na área da construção civil e gerar uma maior mão-de-obra.

EM 2015

No ano de 2015 o setor da construção civil não mostrou um bom percentual na geração de empregos e obteve queda, havendo notícias de cerca de 500 mil demissões. Para retomar o crescimento, há a meta do programa "Minha Casa Minha Vida" e a conclusão das obras não terminadas.

O DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) está com atrasos nos pagamentos de empresas, em torno de quatro meses, além de controlar cerca de 1000 contratos. O departamento é o que possui a maior verba vinda do governo.

Publicidade

EM 2016

O ano de 2016 é eleitoreiro e de continuidade do processo de Impeachment de Dilma. Após as férias (recesso) os trabalhos no senado voltarão ao ritmo normal. O PT, prevendo fracassos no ano de eleições, tem como estratégia melhorar a sua imagem junto à população. Assim, o seu objetivo é barrar o desemprego e calar a oposição, através do PAC.

O governo está reconhecendo os seus erros, ao mesmo tempo que defende a presidente Dilma contra o Impeachment. Jaques Wagner (ministro da casa civil) declarou que o governo tenta resolver os problemas e que ser impopular não é crime.

O Ministro Wagner fará uma reunião com Haddad (PT), onde discutirão sobre verbas para o Rio de Janeiro. A cidade é um potente campo eleitoral e fundamental para as manobras políticas do partido nos próximos anos.

O PT e a presidente querem passar a imagem de que desejam o diálogo, com os setores da sociedade e para isso pretendem voltar com o Conselhão (Conselho Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social). A presidente Dilma irá anunciar as medidas da área econômica antes da festa do carnaval nestes 2016. Eles tentarão melhorar a imagem do governo junto ao empresariado e irão oferecer crédito (financiamento) a médio e curto prazo.

Os planos que o governo quer colocar em prática se destinam  amenizar a impopularidade da presidente e favorecer os setores através do investimento. #Crise econômica