O empresário Marcelo Odebrecht, que foi preso e condenado a cumprir pena em regime fechado, após ser investigado pela operação Lava Jato da Polícia Federal, entrou, desde novembro do ano passado, com processo contra União, os servidores da #Justiça Federal e contra próprio Juiz Sérgio Moro, por vazamento de informações e imagens pessoais suas e de alguns de seus famiiares. A informação foi divugada hoje, dia 30, pelo site Valor Econômico.

A manobra dos advogados do herdeiro do império Odebrecht

Desde o ano passado, os advogados do empresário já tentavam responsabilizar a União e o próprio juiz Sérgio Moro pelo constante vazamento de informações, para a imprensa brasileira, de fatos e de fotos de Marcelo e de seus familiares.

Publicidade
Publicidade

Eles insistem na tese de que o juiz foi o responsável por divulgar informações a respeito de seu cliente e de seus familiares. Os advogados referem-se ao fato de Moro juntar aos autos do processo as fotos das filhas pequenas do herdeiro e ex-presiente da Odebrecht, além de senhas de cartões bancários. Estas informações estavam armazenadas no aparelho celular da empresa que foi apreendido pela Polícia Federal. 

Os advogados impetraram uma açao contra a União e Sérgio Moro por danos morais

Os advogados do empreiteiro resolveram ingressar com uma ação de danos morais contra os acusados, além de solicitarem o recolhimento de todo o material que teria sido divulgado na imprensa. O processo foi impetrado na vigésima primeira vara de São Paulo, no mês de novembro do ano passado. A juíza responsável pelo julgamento da ação é Tatiana Pattaro Pereira.

Publicidade

O empresário justifica que a Polícia Federal, os servidores da Justiça Federal de Curitiba e o próprio juiz agiram de forma descuidada  e sem prudência ao divulgarem informações pessoais sobre o empresário.

A juíza decidiu aceitar a ação contra os acusados, entretanto, negou o pedido de recolhimento de todos os materiais e fotos que foram divulgadas para o púbico. A magistrada alegou falta de competência para julgar o pedido.

Ainda no ano passado, os advogados do empresário já tinham entrado com um pedido de investigação junto à Corregedoria Regional da Justiça Federal, da quarta região, para que Moro fosse investigado pela Corregedoria Nacional de Justiça. A acusação seria a mesma que motivou a ação por danos morais impetrada na Justiça em São Paulo. #Governo #Lava Jato