A Operação Zelotes da Polícia Federal, tem como grande objetivo desvendar um gigantesco esquema de sonegação fiscal instalado no Conselho de Administração de Recursos Fiscais (CARF), órgão vinculado ao Ministério da Fazenda e cujas estimativas de desvios, ultrapassam bilhões de reais. Devido às investigações realizadas pela Polícia Federal e Ministério Público, tornou-se possível expandir as ações para que se averiguasse a suspeita de que quadrilhas estariam atuando com o propósito de anulação ou reversão de multas, além de toda a proximidade com o #Governo, na compra de medidas provisórias em benefício de empresas ligadas ao setor automotivo, já que de acordo com as novas descobertas, contavam com alguma influência durante o mandato do ex-presidente Luiz Inácio #Lula da Silva.

Publicidade
Publicidade

O aprofundamento das investigações possibilitou que em um primeiro momento, o ex-mandatário prestasse depoimento aos investigadores da Operação Zelotes, e que tivesse a oportunidade de esclarecer todas as dúvidas, porém, nessa nova fase, em um novo inquérito, todo o processo se caracteriza num patamar muito mais sério e Lula terá que enfrentar a Justiça, na condição de testemunha.

A defesa

O Instituto Lula e seus advogados negaram que em seu primeiro depoimento no dia 06 de janeiro, Lula estivesse na condição de testemunha, conforme as tratativas da Polícia Federal, senão na condição de informante. Os advogados pretendem ainda sustentar que ele seja ouvido em São Paulo, onde mora, ao invés de Brasília. Esse esforço se concentra na tentativa de poder adiar o depoimento, já marcado para o próximo dia 25 de janeiro.

Publicidade

A intimação

A ação penal estabelece que ocorreram inúmeras irregularidades, em se tratando da venda de medidas provisórias que abrangiam supostos benefícios às empresas do setor automotivo, caracterizando a ilicitude dos atos. Basta ressaltar que não apenas Lula esteja envolvido nessas ocorrências, mas também a participação de seu filho caçula, Luís Cláudio, com a suspeita de ter recebido repasses da empresa Marcondes & Mautoni, pertencente a lobistas, que foram atuantes na edição de uma medida provisória do governo, com o intuito de prorrogar a isenção de impostos para a indústria automobilística.

A Polícia Federal, em diversas frentes, seja através das Operações Zelotes e Lava Jato, entre outras, fortalece as instituições ao tentar desmembrar toda rede de #Corrupção existente, sistematicamente implantada no País nos últimos anos, de acordo com as investigações já realizadas, em curso ou já comprovadas e buscam, além de tudo, dar uma resposta plausível à toda sociedade brasileira, fundamentalmente, através da Justiça, punir os culpados pelo apoderamento do bem público.