O PDT anunciou nesta sexta-feira (22), após encontro com os integrantes do partido, em Brasília, que irá apoiar a presidente #Dilma Rousseff junto ao Congresso Nacional e deste modo, se posicionar contra o processo de #Impeachment que poderá ser colocado em votação neste ano, quando da volta dos parlamentares do período de recesso. No mesmo encontro o partido lançou o nome de Ciro Gomes como pré-candidato para disputar as eleições para presidente da República em 2018.

O presidente do PDT, Carlos Lupi, após reunião com as lideranças internas, resolveu anunciar a posição oficial do partido que será de total apoio à presidente Dilma em seu atual mandato de governo.

Publicidade
Publicidade

No seu pronunciamento, Lupi justificou o posicionamento afirmando que, contra a presidente, não existe qualquer tipo de prova que possa estabelecer uma relação dela com algum tipo de crime. O dirigente alertou ainda que qualquer dos seus correligionários que adotarem uma postura diferente do que foi acertado, serão alvo das medidas previstas no estatuto do partido. 

Outra decisão anunciada por Carlos Lupi foi a posição do PDT em pedir a saída do deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ) da presidência da Câmara.

A candidatura de Ciro Gomes

O encontro também serviu para anunciar o lançamento da candidatura de Ciro Gomes para a disputa da presidência da República em 2018. Carlos Lupi apenas confirmou o que tinha dito no dia anterior, quando declarou que estava preparando o ambiente para o lançamento de Ciro para concorrer à vaga.

Publicidade

Durante o anúncio, Ciro foi ovacionado ao coro de " Brasil pra frente, Ciro presidente".

O ex-ministro agradeceu o apoio e no seu discurso de lançamento de pré-candidato, declarou que a sua vinda para o PDT não foi somente para ser candidato. Quanto ao fato de mudar tanto de partido (sete vezes, com esta última), o mesmo afirmou que já  passou o tempo de ficar errando de sigla em sigla. Ele declarou que se sente seguro no atual PDT.

Ciro aproveitou a ocasião para fazer críticas quanto à atual situação política do país, onde tem sido submetido a situações quase humilhantes quanto à obtenção de crédito externo e pela política de juros interna.

  #PT