Parece que a vida do Ministro da Casa Civil, Jaques Wagner, não vai ficar fácil daqui para frente. Desta vez, foi a vez de Nestor Cerveró contar tudo que sabe, na delação premiada, sobre fatos envolvendo o atual Ministro da Casa Civil. Como se não bastasse o vazamento dos trechos das conversas de Wagner com o empresário da OAS, Leo Pinheiro, eis que Cerveró acusa JW (como ficou conhecido Jaques Wagner nas conversas telefônicas gravadas) de receber muito dinheiro para se eleger governador da Bahia. E vocês sabem de onde veio tanto dinheiro?

A financiadora das campanhas do ministro de Dilma

A resposta é a Petrobras. Além de financiar os esportes no Brasil, a empresa teve seu dinheiro desviado para custear a candidatura de JW para o cargo de governador da Bahia, já em 2006.

Publicidade
Publicidade

Ele ganhou e ainda se reelegeu em 2010. E quem assinou embaixo? O presidente da estatal na época, o senhor Sérgio Gabrielli, conterrâneo de Wagner, na Bahia.

Como se chegou a tudo isto? Foi só porque Cerveró resolveu falar? 

As informações sobre este fato só foram possíveis depois que Delcídio foi preso. Nas buscas feitas em seu gabinete, a PF conseguiu encontrar documentos que, além de comprovar as informações de Cerveró, mostram por que motivo estava o senador preocupado em mandar Nestor para fora do país. Além disto, ele ofereceu vultosa quantia como mesada para que a família do diretor da área internacional da Petrobras pudesse ficar tranquila. Entretanto, ele só não contava com as gravações do filho do ex-Petrobras.

Cerveró ainda não entendeu porque a Petrobras quis construir um prédio no estado da Bahia!

Nas palavras do ex-diretor da Petrobras, ele não conseguiu compreender por que Gabrielli resolveu construir um prédio para colocar o setor financeiro da empresa na Bahia.

Publicidade

No Rio, havia espaço sobrando. Isto aconteceu justamente em 2010. Este foi o ano que JW foi reeleito para o governo daquele estado. Coincidência! Cerveró completou que neste ano, a enxurrada para os cofres do atual ministro foi grande. A construção do prédio foi através de uma parceria entre a empresa e o seu próprio fundo de pensão, a Petros.

Quem construiu o prédio da Petrobras na Bahia?

Todo mundo sabe que, para a construção de um prédio público, precisa-se de um empresa que seja paga para isto!  Então, adivinhemos quem foi chamada, ou melhor, quais empreiteiras foram selecionadas para tal propósito?  As empresas Odebrecht e OAS, as 'musas' e fiéis investigadas pela Lava Jato.

Os envolvidos, ao melhor estilo de Maluf, não sabem de nada

Tanto Jaques Wagner quanto o ex-diretor Sérgio Gabrielli desempenham o seu melhor papel ao negarem tudo. Para JW, tudo não passa de uma simples suposição e como bom brasileiro, está à disposição do país para tirar qualquer dúvida. Para Gabrielli, as suas alegações de desconhecimento dos fatos, lembram as célebres alegações de Paulo Maluf, 'Eu não sei de nada', mostrando que o político paulista ainda vai inspirar gerações (só de corruptos!, espero).  #Lava Jato #Corrupção #Petrolão