Muitas pessoas estão curiosas acompanhando o caso da delação premiada de Cerveró. E a mais recente notícia é de que o ex-diretor da Petrobrás acaba de mudar a versão de seu depomento, e, além do mais, não cita o ex presidente Luiz Inácio Lula da Silva no novo documento que acaba de ser homologado junto ao STF.

Tudo sobre a nova versão de Cerveró

Em sua nova versão, ele não cita o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva nas declarações sobre a refinaria Pasadena. O ex-diretor da Petrobras, Nestor Cerveró, modificou recentemente a sua versão sobre o hipotético pagamento de “gorjeta” de quatro milhões de dólares para a campanha de reeleição de Lula, no ano de 2006.

Publicidade
Publicidade

Esses recursos são suspeitos de ter origem na obra que trouxe uma renovação ao Parque de Refinamento, na refinaria da cidade de Pasadena, localizado no Texas. O motivo divulgado nos últimos tempos pela imprensa agora já não é mais o mesmo.

Isso porque a menção ao pagamento da empreiteira Odebrecht para campanha do ex-presidente Lula agora já não está mais no termo de delação que foi mencionado pelo ministro do Supremo Tribunal Federal Teori Zavascki, o relator da investigação no STF.

Com isso, o ex-presidente Lula já não é mais mencionado nas declarações sobre propinas nas compras e obras de Pasadena. Há um resumo que foi proporcionado por NestorCerveró para os investigadores do #Lava Jato que diz o seguinte: “ficou certo que a empreiteira Odebrecht iria adiantar de quatro milhões de reais para a campanha presidencial do então presidente Luiz Inácio Lula da Silva, fato que acabou sendo feito".

Publicidade

E ainda, no próprio documento que consta a nova versão, também houve alteração possível origem do dinheiro utilizado para o pagamento da suposta propina, ou seja, que vem através da UTC e não da Odebrecht, conforme era citado anteriormente.

Além disso, outras palavras também fazem parte desse nova versão: "Foi decidido que (...) a contrapartida da empreitera UTC por sua participação nas licitações das obras do Revamp seria utilizado como pagamento de uma suposta propina; que se acertou que a empreiteira UTC faria adiantamento de uma uma “gorjeta” de quatro milhões de reais, que seriam utilizados na campanha de reeleição, cujo destino seria feito com base no senador Delcídio do Amaral”.

Quem é Nestor Cerveró?

Nestor Cerveró é carioca, nascido no ano de 1951. Ele é engenheiro químico e, com o passar dos tempos, alcançou um ótimo cargo na sua carreira.

Nos últimos anos, Cerveró era executivo de alto padrão da Petróbras, onde atuou de 1975 até 2014. Porém, devido a investigações e suspeitas de envolvimentos em crimes, como é o caso de Pasadena e também de Lava Jato, Cerveró já passou pelas grades da prisão.

Publicidade

Ele foi preso pela polícia federal por motivos de investigações da operação Lava Jato.

Sendo acusado categoricamente no envolvimentos de criminalidades, o engenheiro químico anda muito falado nas mídias sobre os casos e todos estão bem curiosos para saber qual é a verdade por trás de todo o mistério.

Ainda há muitos indícios de que o ex-diretor continua praticando esses crimes. Em maio do ano passado, Cerveró foi condenado por #Corrupção passiva e também por lavagem de dinheiro que acarretou em uma pena de 12 anos e 3 meses de prisão.

Agora a pergunta que não quer calar é: quem ele levará consigo para a prisão?

Vejamos os próximos capítulos... #Portal do Tocantins