Nem mesmo a presença da presidente #Dilma Rousseff na abertura oficial do ano legislativo no Congresso Nacional sensibilizou o senador do PSDB, #Aécio Neves. Derrotado pela petista por uma pequena margem de votos na eleição presidencial de 2014, o tucano disparou críticas à postura de sua ex-adversária e avaliou que o objetivo dela nesta terça-feira (2) era buscar apenas “fotografia”.

“Todos nós sabemos que o que ela veio buscar aqui foi o apoio dos parlamentares para tentar aumentar a carga de impostos aos brasileiros. Foi fotografia. Mas ela não tem mais condições de pedir qualquer sacrifício à sociedade”, salientou Aécio, em uma clara referência ao apelo de Dilma para a recriação da Contribuição Provisória sobre Movimentações Financeiras (CPMF).

Publicidade
Publicidade

“Nós, mais uma vez, lamentavelmente, assistimos aqui uma sucessão de mentiras disparadas pela presidente da República. É mais do mesmo. Ela não tem condição de tirar o país da lama na qual ela mesma colocou”, disparou. Na avaliação do tucano, 2016 será outro ano “perdido”.

Em seu discurso, Dilma também tentou mobilizar os parlamentares para apoiarem medidas para combater a epidemia do zika vírus, que vêm preocupado inclusive a comunidade internacional já de olho nas Olimpíadas do Rio de Janeiro a partir de agosto. Mas Aécio entende que Dilma não tem moral nem para tratar deste tema.

“Ela distribui cargos e empregos aos seus aliados políticos sem critério algum. Então, que moral ela vai ter para liderar esse combate ao zika vírus?”, citou Neves. No caso, ele deixa subentendido a nomeação no ano passado de Marcelo Castro, do PMDB, para o cargo de ministro titular da Saúde.

Publicidade

#Governo