A CNT/MDA acaba de divulgar uma nova pesquisa em relação à intenção de votos para uma futura eleição, que deve ocorrerá em 2018. Aécio Neves, que concorreu ao cargo nas últimas #Eleições e perdeu para Dilma Roussef, aparece na pesquisa com liderança de votos. Surgem ainda Jair Bolsonaro e Ciro Gomes.

Aécio Neves, integrante do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), ficou com 24,6% da intenção de votos. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, mais comumente alcunhado de Lula, do Partido Trabalhista (PT), que deve novamente concorrer ao cargo, ficou em segundo lugar com 19,1%.

Marina Silva, que na eleição anterior concorreu pelo PSB, após a morte de Eduardo Campos, deve voltar a concorrer, mas dessa vez pelo partido Rede Sustentabilidade, do qual é a líder.

Publicidade
Publicidade

Com proposta de centro-esquerda, sua estimativa de votos é de 14,7%. Na última eleição, chegou a liderar em alguns dias de pesquisa, mas próximo ao momento da votação oficial, perdeu popularidade.

Como surpresa, aparecem Jair Bolsonaro (Partido Progressista, PP) e Ciro Gomes (Partido Democrático Trabalhista, PDT), cada um com expectativa de 6,1% e 5,8%, respectivamente.

Entre votos brancos e nulos, soma-se um total de 19,1%, além de 10,1% de indecisos. Num total de quase 30%, essa parte da opinião pública tende a se adequar ao longo do tempo, tendo em vista que momentaneamente não é pensado de forma ampla pela sociedade tal assunto, já que as próximas eleições são somente em 2018.

Foi feita também uma outra projeção em que não Aécio concorreria, mas sim Geraldo Alckmin. Nesse cenário, Lula teria vantagem, registrando 19,7% dos votos, enquanto isso Marina Silva ficaria com 17,8% e Alckmin na terceira posição, com 14,5%.

Publicidade

Atualmente Geraldo Alckmin é governador do Estado de São Paulo e passa por um momento de polêmicas envolvendo o sistema educacional do estado.

A pesquisa entrevistou cerca de duas mil pessoas em mais de 100 municípios diferentes em estados de toda parte do país. Outros nomes importantes no cenário político como Luciana Genro e Eduardo Jorge não apareceram.