Os últimos fatos revelados sobre a vida pessoal do ex-presidente Luiz Inácio #Lula da Silva conturbaram ainda mais o ambiente político para as #Eleições presidenciais de 2018. No último levamento, realizado pelo conceituado Instituto Ibope, 61% dos eleitores afirmaram que não votariam sob qualquer circunstância no petista para presidente, segundo apurou José Roberto de Toledo, do jornal "O Estado de São Paulo". 

Lula aparece como principal nome entre os "caciques" do Partido dos Trabalhadores para suceder a atual presidente Dilma Rousseff, também do PT. Lula, hoje com 70 anos, foi eleito Presidente da República pela primeira vez em 2002 e conseguiu a reeleição em 2006, apostando muito em medidas populares, alterando os rumos da política até então conduzida pelo PSDB.

Publicidade
Publicidade

Com a popularidade em alta, emplacou Dilma para manter o PT no poder por mais dois mandatos. Entretanto, Lula passa por um sério momento de instabilidade, por conta das denúncias que pesam contra seu patrimônio pessoal, e que ainda não foram comprovadas pelo Ministério Público, através da operação #Lava Jato.

Tecnicamente, o político petista perdeu muito terreno desde a última pesquisa de outubro, levando-se em conta que a margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. A queda de popularidade no Nordeste é outro ponto de preocupação para o PT, já que indica um panorama de perda de credibilidade junto ao seu mais poderoso nicho de eleitorado. Porém, seus opositores também não se firmam entre os eleitores, deixando em aberto quem de fato estará com força política para entrar na briga em 2018, ainda mais com o PMDB demonstrando muita instabilidade entre seus principais líderes.

Publicidade

Com um índice de rejeição acima de 60%, Lula sequer teria condições de constituir uma base aliada sem que tenha de lidar com "barganhas" junto aos outros partidos. 

Números

No levantamento do Ibope, o senador José Serra, do PSDB-SP, tem a marca de 52% de rejeição. Na sequência, surgem os nomes do governador paulista, Geraldo Alckmin (PSDB-SP), com 47% de índice, do ex-ministro Ciro Gomes (PDT-CE), com 45%, do senador Aécio Neves (PSDB-MG), com 44%, e da ex-ministra e ex-senadora Marina Silva (Rede), detentora de 42% neste critério. Vale ressaltar que 7% do grupo entrevistado rejeita todos os candidatos em potencial para as eleições de 2018.