Dilma Rousseff realizou visita oficial ao Chile, nesta tarde de sexta-feira (26) e se encontrou com Michelle Bachelet, no Palácio de La Moneda na cidade de Santiago. Essa aproximação é parte do protocolo oficial da presidente no país chileno. 

A viagem da presidente Dilma ao Chile

A presidente Dilma chegou ao Chile neste (26) e ficou no país até sábado (27) em visita. O Palácio do Planalto informou que ainda não há probabilidade de retorno e que Dilma tem o intuito de comparecer na reunião da CEPA (Comissão Econômica para a América Latina e Caribe), neste (27).

 O encontro da chefe de estado do Brasil com Bachelet

A secretaria de Comunicação Social informou que a Chefe de Estado do Brasil, se reuniu nesta sexta-feira (26) com Michelle Bachelet (Presidente do Chile).Logo após o encerramento do encontro  ela deu entrevista à imprensa e a noite Dilma se reuniu com donos de empresas do Brasil, que mantêm negócios com o Chile ou pretendem ter. 

A entrevista dapresidente Dilma ao "El Mercurio" 

Dilma em entrevista ao "EL Mercurio", disse que seus opositores não querem a sua permanência na presidência do Brasil, que usaram métodos "ilegais e ilegítimos", para dar início ao Impeachment.

Publicidade
Publicidade

Ela falou sobre a crise econômica que o país atravessa e disse que há um esforço do governo para combater a inflação, que está elevada no país.

As palavras da presidente foram veementes ao dizer que continuará com o seu mandato e que está em conformidade com a constituição. Falou que tem muito a fazer, principalmente em se tratando da reforma previdenciária e que o país não pode parar. Na sua entrevista a chefa de estado disse para o "El Mercurio", que o Brasil possui uma democracia considerada ´´nova``, com instituições firmes e poderes autônomos entre si. Que o poder Judiciário, a PF (Polícia Federal), juntamente com os demais órgãos, tem liberdade de atuação.

De acordo com Rousseff não há indícios de que ela tenha cometido corrupção e afirma não ter realizado qualquer tipo de delito.

Publicidade

Disse que para solucionar as diferenças políticas no Brasil é preciso estabelecer um bom diálogo, ter propostas para solucionar os problemas que surgem e proteger os interesses do país

Sobre a economia do Brasil Dilma disse que a crise econômica é fato e que em 2015 foi feito o "arrocho fiscal", e conseguiram diminuir R$135 bilhões nas despesas.

Falou que o corte orçamentário de R$23,4 bilhões foi necessário por causa da dívida do país. Na entrevista ao jornal falou que a "comandites" que tanto ajudou os países diminuiu, mas que o enfrentamento da crise está sendo feita com nitidez e compromisso, que o governo está se empenhando para melhorar o setor fiscal e diminuir a inflação.

Dilma deu como soluções para acabar com a crise do país, o investimento em logística, programa de benefícios em energia elétrica.

 A festa do PT

Dilma saiu de Santiago ás 17h neste sábado (27) rumo a Brasília e se tornou inviável que participasse da festa de aniversário do #PT, que completa 36 anos e a comemoração aconteceu à noite, no Rio.

Publicidade

#Dilma Rousseff