O ex-presidente, Fernando Henrique Cardoso, mais uma vez teve de se explicar sobre as acusações por supostamente ter utilizado dinheiro da Brasif S.A Exportação e Importação para enviar dinheiro ao exterior, com o intuito de ajudar sua ex-amante, Mirian Dutra Schmidt, hoje com 55 anos, e o filho dela, Tomás Dutra. FHC não assume que Tomás seja seu filho biológico, após a realização de exames de DNA, cujo resultados deram negativo para a paternidade. Mesmo assim, o político esteve presente ao menos para auxiliar na educação do rapaz.

O relacionamento extraconjugal entre os dois durou entre as décadas de 80 e 90 e veio a público na última semana.

Publicidade
Publicidade

A ex-repórter da Globo, em revelação ao jornal Folha de São Paulo, garantiu que FHC enviou o dinheiro para ela alegando serviços prestados para o político, durante sua estadia fora do Brasil, como correspondente. O político, por sua vez, reconhece manter contas no exterior e que ajudou Tomás Dutra com seus estudos, mesmo sem reconhecer a paternidade biológica do jovem, além de ter lhe presenteado com um apartamento avaliado em € 200 mil, em Barcelona, na Espanha.

Fernando Henrique Cardoso, presidente da República entre 1994 e 2002, garante que não tem nada a esconder e que a opinião pública está ao seu lado. Para o tucano, "coisas menores" que surgem na mídia em ano de #Eleições são normais, mas não o preocupam. O veterano político afirma que a própria Brasif S.A Exportação e Importação nega qualquer participação nas operações financeiras, sendo que suas contribuições para a amante teriam sido fruto do dinheiro amealhado ao longo da sua carreira, devidamente declarados no seu Imposto de Renda.

Publicidade

No momento, sua principal preocupação é com o Brasil e os rumos da política nacional, segundo o qual classificou como "um desastre". Um dos principais "caciques" do #PSDB, principal partido de oposição do atual #Governo da presidente Dilma Rousseff, FHC era casado com Ruth Cardoso enquanto manteve o caso com a jornalista Mirian Dutra. No momento, o ex-presidente está em ação articulando a pré-candidatura do vereador Andrea Matarazzo para prefeito de São Paulo, ao lado de outros nomes fortes da sigla.