Em uma entrevista polêmica ao blog do jornalista Josias de Souza, o atual prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, do Partido dos Trabalhadores (#PT), demonstrou o quanto a sigla segue dividida e fragilizada internamente. Líder de uma das principais cidades do país, o petista apontou com todas as letras os defeitos que vê no #Governo Dilma e ainda conclamou a volta de bandeiras exaustivamente defendidas na era Lula, que comandou o Brasil entre 2003 e 2010.

Em sua análise, Haddad não condena a falta de popularidade de #Dilma Rousseff perante os brasileiros e atribui isso a uma contnigência política, capaz de afetar qualquer agente público que exerça cargos importantes.

Publicidade
Publicidade

No entanto, o que ele não concorda é com o que chama de “falta de identidade” da atual gestão. No mesmo passo, o prefeito de São Paulo pediu com urgência o retorno de pautas e bandeiras da época do governo Lula.

“Você ter popularidade ou não diante dos brasileiros é algo que pertence à vida política. O que não pode acontecer é não ter uma identidade e não estar identificado com um projeto de governo. Para falar com franqueza aquilo que penso, acredito que precisamos urgentemente voltar a destinar uma política para a criação de emprego”, salientou Haddad, pedindo o retorno de uma das bandeiras de Lula.

Problemas na condução da economia

O tão falado ajuste fiscal foi outro tema abordado por Haddad. Segundo ele, problemas na condução do próprio Palácio do Planalto levou com que a questão se alastrasse.

Publicidade

Agora, com a turbulência vivida no Congresso, o petista teme que governo e oposição não entrem em um consenso. No final do ano passado, Dilma trocou o antigo ministro da Fazenda Joaquim Levy por Nelson Barbosa, que ocupava a pasta do Planejamento.

“No plano federal, tanto governo quanto oposição precisam sentar e assumir seus equívocos. A partir disso, será preciso criar e estabelecer uma agenda positiva e de crescimento para o país. O que for de concordância mútua precisará ser aprovado. E assim a vida vai seguir. O Brasil não pode viver um segundo ano consecutivo de imensa dificuldade como foi em 2015”, comentou Haddad.

O carinho e a admiração pelo ex-presidente Lula ficam notórios na postura e na fala de Fernando Haddad. Não por acaso, Lula foi um dos grandes avalistas e condutores de sua vitória na prefeitura de São Paulo, em 2012, sobre o experiente adversário tucano José Serra. Na entrevista concedida ao jornalista Josias, Haddad aproveitou também para minimizar o suposto envolvimento do grande líder do PT com esquemas de corrupção e ainda disse sentir saudades de bandeiras importantes defendidas no seu governo.

Publicidade

“Nós precisamos trazer de volta a política econômica implementada nos dois mandatos do presidente Lula. Tivemos uma política irretocável nesse sentido, com inclusão, distribuição de renda, aumento do acesso às universidades, escolas técnicas em expansão (…) Não foi cometido um erro que colocasse tudo isso a perder. No primeiro mandato de Dilma, ela própria reconhece que aconteceram problemas. E, agora, os problemas estão na condução”, disse.