Os rumos das investigações da Polícia Federal, através das apurações da Operação Lava-Jato, comandada pelo juiz federal, Sérgio Moro, caminham com extrema rapidez em alcançar o 'chefe'  e mentor de todo o esquema de #Corrupção institucionalizada, implantado na Petrobrás, a maior estatal brasileira. Toda a investigação, como se fosse um enorme "labirinto," vai se aproximando perigosamente do ex-presidente Luiz Inácio #Lula da Silva.

Os acordos de colaboração entre empreiteiros e Ministério Público; as chamadas "delações premiadas", favoreceram  marcantemente para que se acelerassem as investigações e as recentes descobertas sobre a provável posse de imóveis,oriundos de recursos públicos desviados por meio de corrupção,  que seriam de Lula, como o sítio de Atibaia-SP e o tríplex na praia de Astúrias, em Guarujá, no litoral paulista, além de "elevar o tom", causando grande preocupação no ex-presidente e seus familiares, ainda mais quando se verifica que sua defesa não conseguiu até o momento, dar uma resposta plausível e concreta em relação às suspeitas que envolvem os dois casos citados.

Publicidade
Publicidade

Lula recorre à Dilma

Temeroso de que sua situação venha a piorar  com as descobertas de todo o emaranhado de corrupção que vem à tona, Lula decidiu reclamar aos amigos mais próximos, de que falta à presidente Dilma Rousseff, declarações  mais contundentes de apoio ao  insinuar que a mandatária do País deveria demonstrar mais "solidariedade" em relação à ele. O Instituto Lula, através de um integrante que preferiu não se identificar, perguntou: " Como é que a Dilma vai defender o Lula se ela própria não consegue se defender?", questionou, em busca de respostas.

Reação petista

Na semana passada, o presidente do PT, Rui Falcão, tentou defender Lula publicamente em inserções da legenda na TV. Em outra ofensiva, inclusive com a presença de Dilma, será a comemoração dos 36 anos do partido, em que será realizado pela cúpula, um ato de desagravo ao ex-presidente Lula nos dias 26 e 27 de fevereiro.

Publicidade

Trabalho da PF

Os desdobramentos do conjunto de investigações da Operação Lava-Jato e da Operação Zelotes, sob comando da Polícia Federal, denotam um trabalho de grande eficácia para se chegar aos grandes culpados pela corrupção instalada no País. O enorme prestígio popular atribuído ao juiz Sergio Moro, aliado a todo o apoio que a sociedade civil reserva à Polícia Federal, contribuem de modo fundamental para que o Brasil encontre uma Justiça que seja para todos e não mais proteja corruptos, muito menos quem esteja no Poder e que finalmente todos os criminosos de colarinho branco paguem pelos seus crimes cometidos. É a esperança de todo um  povo, cansado de toda a corrupção reinante neste país. #Lava Jato