A Operação Lava-Jato, da Polícia Federal, sob comando do juiz Sérgio Moro, não dá tréguas às investigações que apuram crimes relacionados a todo o esquema de propinas, em relação aos bilhões de reais desviados dos cofres da Petrobrás. As apurações se intensificam e o cerco se fecha ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O MPF resolveu requisitar às empresas, bancos e entidades de classe, as provas de que #Lula realmente proferiu palestras. A solicitação remonta aos comprovantes dos pagamentos que confirmam a realização de palestras, eventos e publicações à empresa L.I.L.S, de Lula e de seu sócio Paulo Okamoto, sediada na cidade paulista de São Bernardo do Campo. 

A suspeita da Polícia Federal e do Ministério Público, recaem sobre os valores altíssimos das apresentações do ex-presidente, contando que, algumas empresas já tenham confirmado terem recebido as solicitações de comprovantes da realização das mesmas, como por exemplo, a empresa Rumo ALL, que confirma o recebimento do ofício de contratação da L.I.L.S.

Publicidade
Publicidade

Outra empresa que também foi oficiada, é a Helibrás, cuja solicitação remete à palestra de Lula, realizada em abril de 2014, na cidade mineira de Itajubá. O Instituto Lula declara através de nota que o ex-presidente atuou com palestras apresentadas a 41 empresas.

A investigação da Lava Jato

As operações suspeitas da empreiteira Odebrecht em relação às palestras de Lula, recaem sobre o envolvimento da empresa L.I.L.S, num pedido de compra da construtora no valor de 400 mil reais. Porém, o que as apurações da #Lava Jato identificaram, é o recebimento de 27 milhões de reais, destinados à empresa de Lula, especialmente entre abril de 2011 e maio de 2015. Dentre as altas somas direcionadas à empresa do ex-presidente, constatou-se que 10 milhões de reais foram pagos, tendo como origem, recursos obtidos de empresas investigadas na Operação Lava-Jato.

Publicidade

A defesa

O Instituto Lula informou que prestou todos os esclarecimentos pertinentes, de forma voluntária, ao MPF do Distrito Federal e à Receita Federal. A defesa do ex-presidente, entrou também com pedido ao STF, para excluir da Lava-Jato, as investigações sobre o tríplex do Guarujá e o sítio de Atibaia, que a PF suspeita e apura, se corresponde às propriedades de Lula. #Corrupção