Nesta sexta-feira, 19 de fevereiro, o Ministro do Supremo Tribunal Federal, Teori Zavaski, concedeu liberdade ao Senador do PT, Delcídio do Amaral.

O Senador estava preso em Brasília desde novembro de 2015, suspeito de oferecer dinheiro para fuga de Nestor Cerveró, o que evitaria sua delação premiada no caso de #Corrupção na Petrobrás, da qual Cerveró é ex-diretor.

Com esta decisão o Senador irá cumprir recolhimento domiciliar noturno e nos finais de semana, assim poderá comparecer anormalmente a todas as sessões do senado.

Caso seja cassado ou afastado do mandato de Senador deverá permanecer recolhido em seu domicilio, o petista também deverá apresentar-se a cada 15 dias e, sempre que for requisitado, perante a justiça.

Publicidade
Publicidade

O Senador também deverá entregar seu passaporte e está proibido de deixar o país.

A decisão do Ministro baseia-se que hoje Delcídio não interfere mais no processo, já que Nestor Cerveró já fez sua delação.

O Assessor de Delcídio também ficará em prisão domiciliar por período integral até comprovar um trabalho lícito.

Pedido de liberdade

Os advogados de defesa do petista entregaram na última terça-feira, dia 16, ao STF, um pedido solicitando a anulação da gravação onde Delcídio conversa com o filho de Cerveró e oferece dinheiro e orienta sobre um plano de fuga do país para o ex-diretor. Para os advogados a gravação foi uma “armadilha”, e solicitam que seja rejeitada a denuncia oferecida pela PGR.

Procuradoria-Geral da República, também acusa Delcídio do Amaral de oferecer R$50 mil por mês ao ex-diretor para ele não citar o senador em sua delação.

Publicidade

Na defesa os advogados ainda alegam que o filho de Cerveró, Bernardo Cerveró, marcou uma reunião com o senador para levá-lo a uma armadilha e que a gravação deveria ter sido autorizada pela justiça.

Motivos da prisão

Delcídio foi gravado por Bernardo Cerveró prometendo que falaria com os Ministros do Supremo Tribunal Federal, para conseguir liberdade para Cerveró. Na conversa gravada, além de dinheiro, o Senador sugeria uma fuga para a Espanha passando pelo Paraguai. Também havia a promessa de pagar os honorários advocatícios pela defesa do ex-diretor. #Congresso Nacional