Pela primeira vez, a presidente #Dilma Rousseff decidiu se manifestar a respeito das denúncias que o ex-presidente Luis Inácio #Lula da Silva, vem sendo acusado. Segundo ela, o petista é alvo de injustiça. "Converso sistematicamente com o presidente Lula. Acho que ele está sendo objeto de grande injustiça. Respeito muito a história do presidente Lula e tenho certeza que esse será um processo que será superado porque eu acredito que o pais, a América Latina e o mundo precisam de uma liderança com as características do presidente Lula", disse.

Vale lembrar que Lula é acusado de ocultar propriedade de um apartamento triplex no Guarujá (SP), e que uma das empreiteiras investigadas na #Lava Jato, a OAS, teria feito a reforma de um sítio o qual era frequentado por ele (Lula) e seus familiares.

Publicidade
Publicidade

Seu nome também foi citado na Operação Zelote (um suposto envolvimento de servidores públicos, inclusive Lula, suspeitas de venda de medidas provisórias). O delegado da Polícia Federal, Marlon Cajado, enviou na semana passada, um ofício a Justiça Federal, solicitando a abertura de um inquérito e deu mais detalhes deste cenário. Além de Lula, a ex-ministra da Casa Civil no governo do ex-presidente, Erenice Guerra, e Gilberto Carvalho, ministro no governo de Lula e do primeiro mandado de Dilma, também foram citados.

"Os demais documentos juntados aos autos apontam para eventuais colaborações de outros servidores públicos para a consecução dos interesses da organização criminosa, e, buscando-se evitar conclusões precipitadas, fez-se necessário a instauração de novo procedimento policial expediente [para] tentar alcançar a verdade real sobre os fatos apurados, isto é, se outros servidores públicos foram de fato corrompidos e estariam associados à essa organização criminosa ou se estariam “vendendo fumaça”, vitimando-os e praticando tráfico de influência em relação aos mesmos, a saber: Erenice Guerra, Dyogo Henrique de Oliveira, Nelson Machado, Luiz Inácio Lula da Silva, Gilberto Carvalho, Helder Silva Chaves, Ivan João Guimarães Ramalho e Miguel João Jorge Filho, entre outros”, afirmou.

Publicidade

Assim como informou Blasting News ontem (12), Lula irá depor pela primeira vez na Operação Lava Jato, no dia 14 de março, e irá testemunhar em defesa do pecuarista José Carlos Bumlai.

Ontem, Dilma e Lula estiveram juntos por cerca de duas horas em SP, mas não houve comunicado a imprensa do que propriamente, ambos haviam discutido. Segundo o blog do jornalista Gerson Camarotti, o encontro serviu para acalmar o ambiente de intriga criado em torno dos dois.

Presidente participa de mobilização contra mosquito Aedes Aegypti, no Rio

Dilma esteve no Rio de Janeiro na manhã deste sábado (13), para participar de ações do Dia Nacional de Mobilização contra o Aedes Aegypti. Acompanhada do governador Luiz Fernando Pezão (PMDB), do prefeito Eduardo Paes (PMDB) e de agentes de saúde, a petista caminhou por ruas do bairro Santa Cruz, visitou algumas casas da região e cumprimentou moradores.

De acordo com o Ministério da Defesa, 220 mil militares estarão em 356 municípios para auxiliar a população a evitar focos de proliferação do mosquito.

Publicidade

Um material informativo também foi distribuído.