Na noite desta terça-feira (23), foi exibido o programa eleitoral gratuito do Partido dos Trabalhadores (PT). Luiz Inácio #Lula da Silva, o Lula, e Rui Falcão, atual presidente da legenda, discursaram em nome da sigla. Dilma Rousseff, dessa vez, optou por não aparecer. Em um discurso que pregava a união com os demais agentes políticos, o locutor em determinado momento disse:

"Este não é o momento para serem defendidas bandeiras que nos afastam. Temos que reunir forças para ajudar o Brasil. Por que tanta raiva e intolerância contra um partido político, no momento em que é preciso união?", diz o texto.

Na sequência, figurantes apareceram conversando com a missão de amenizar a crise econômica pela qual o país passa.

Publicidade
Publicidade

Segundo um deles, tudo não passa de uma "fase". Um outro popular diz: "Não se pode fugir da fumaça, temos é que apagar o fogo". "Vamos trabalhar!", pede um outro.

Lula, em seu discurso, traçou um paralelo entre o momento vivido hoje com aquele de quando assumiu o país, em 2003, um ano depois de ter vencido sua primeira eleição presidencial. Na sua visão, as pessoas que só falam em crise minam a confiança nacional.

"Eu tenho mais confiança no Brasil hoje do que quando eu comecei na presidência. Ninguém saiu da miséria tão rapidamente. Quem fala em crise toda hora, é crise, crise e crise, acaba minando a confiança que temos no Brasil", disse.

Durante a exibição do programa, cidades brasileiras registraram o famoso "panelaço" de grupos e pessoas insatisfeitos com o atual #Governo. A prática tem sido recorrente desde o ano passado a cada manifestação em cadeia nacional de um dirigente petista.

Publicidade

#PT