O governo de Dilma Rousseff está agora causando insatisfação para integrantes do Partido dos Trabalhadores (#PT). Muitas opiniões estão divergentes em relação à economia, reforma da Previdência e ao projeto que o Senado aprovou nesta semana em relação aos 30% que a Petrobrás teria como direito na participação da exploração dos campos do pré-sal. Este projeto de lei do senador José Serra, do PSDB, retira da estatal a obrigação de investir o percentual.  Rui Falcão, presidente do PT, afirma que defenderá a reforma da Previdência, imposta pelo #Governo, se não ocorrer perdas de direitos e que tudo possa ser pactuado com os movimentos sociais, sindicalistas e organizações populares. Nesta sexta feira (26), foi aprovado pelo Diretório Nacional do PT o "programa nacional de emergência" com o intuito de recuperar a economia que está indo ao contrário do que tem sido admitido pelo governo.

Publicidade
Publicidade

 

Críticas ao governo

Surge, entretanto, uma grande polêmica em relação ao desentendimento que alguns participantes do PT estão tendo em relação ao governo. Markus Sokol, integrante petista da corrente "O Trabalho", ligado à extrema esquerda, relatou que Dilma viola as "cláusulas Pétreas" em relação ao partido. Ele argumentou que com a saída de Joaquim Levy do ministério da Fazenda as coisas pioraram e criticou também a presidente, dizendo que se ela não mudar, o partido e o governo não estarão mais falando na mesma "língua". Jorge Coelho, integrante da Executiva Nacional, comentou que essas críticas não pretendem atrapalhar a presidente, mas sim apresentar planos para mudanças na política econômica.

Ânimos acalmados

Para tentar acalmar os ânimos, o ministro da Casa Civil, Edinho Silva, declarou que não há distanciamento do PT com a Dilma, pelo contrário, ele relatou que eles estão unidos e que buscam o mesmo objetivo, que é a superação da crise que o país está vivendo.

Publicidade

Edinho ainda comentou que a presidente Dilma precisa as vezes dialogar e buscar apoio com outros partidos, mas que ela (Dilma) defende a mesma agenda que o PT.  #Dilma Rousseff