Mais um capítulo da série real sobre #Corrupção no Brasil na saga “A Casa do PT Caiu” ganha repercussão. Dessa vez, o ex-líder do governo Delcidio do Amaral, garante que se for cassado, levará metade dos políticos do Senado com ele.

A ‘ameaça’ veio com a possibilidade do político ter seu mandato cassado, o que ocasionaria em a perda do foro privilegiado e seu julgamento passaria a ser em uma instância comum, onde nada mais, nada menos que Sergio Moro tomaria a decisão final a seu respeito.

As informações foram divulgadas em primeira mão pela Folha de São Paulo, que ainda afirma que Delcídio retorna essa semana para o Senado com o intuito de tirar 120 dias de licença, mantendo seu salário de R$33,7 mil mensais, mais benefícios previstos para o cargo.

Publicidade
Publicidade

Caso a licença seja por ‘motivos pessoais’, Delcídio perde o direito ao salário, mas se for uma licença por motivos de saúde, manterá os rendimentos mensais como senador. Se não voltar ao cargo após os quatro meses de afastamento, um suplemente assume seu cargo. Gleisi Hoffmann foi anunciada no Diário Oficial da União como a substituta de Delcídio na presidência da Comissão de Assuntos Econômicos.

Delcídio estaria articulando negar todas as acusações a seu respeito e pedir o incondicional apoio de seus colegas, entretanto, ao que tudo indica não será fácil obter o apoio da maioria. A situação piorou depois que Delcídio ficou preso por três meses e as investigações da Policia Federal têm prendido e divulgado novos suspeitos do PT. Quem não teve seu nome envolvido com as polêmicas, seja por questão temporária ou pelo fato de não ter envolvimento com a corrupção, não quer ser relacionado com Delcídio.

Publicidade

O PPS e a Rede de Sustentabilidade são os autores do pedido de cassação de Delcídio, feito em dezembro do ano passado, e que por sua vez encontra-se em julgamento. O relator do caso é um deputado do PSDB e a defesa de Delcídio pediu a substituição do relator, pois acredita que o oposicionista ao governo irá ‘prejudicá-lo’. Esse pedido, por sua vez, ainda não foi decidido.

Para relembrar

Delcídio foi preso por decisão do STF após ouvir uma gravação em que Amaral oferecia uma ‘mesada’ de R$50 mil, mais uma fuga para que Nestor Cerveró não fizesse a delação premiada, o que prejudicaria o petista. Cerveró assinou o acordo de delação e com isso Delcídio se prejudicou antes mesmo das provas sobre a ligação do mesmo com o esquema de corrupção, pelo simples fato de tentar se safar da investigação com uma chantagem. #PT #Lava Jato