Ná última terça-feira, dia 02, os advogados do senador petista, Delcídio Amaral, preso no ano passado, entraram com um pedido de defesa junto ao STF, o qual solicitam a imediata anulação das provas apresentadas pelo filho de Cerveró contra o senador. Bernardo Cerveró gravou uma conversa de Delcídio na qual o mesmo tenta impedir que Nestor Cerveró possa optar pela delação premiada. A gravação das conversas telefônicas foi feita de maneira secreta por Bernardo e ao serem apresentadas à Justiça, constituiu um dos vários motivos que culminou com a prisão do senador matogrossense.

A gravação que levou o Senador para a prisão

Em novembro do ano passado, quando foi preso, Delcído do Amaral teve uma ligação telefônica gravada pelo filho de Nestor Cerveró.

Publicidade
Publicidade

Nela, o senador tentava evitar que Cerveró optasse pela delação premiada. Para isto, ele prometia financiar uma verdadeira operação para que o ex-diretor da Petrobras pudesse fugir do país. Além disto, Delcídio chegou a oferecer uma ajuda fnanceira para a famíla de Cerveró, em torno de R$ 50 mil mensais. Esta gravação serviu como uma das provas que levaram o político para detrás das grades.

Os advogados que trabalham para conseguir tirar o senador da prisão alegam que o seu cliente jamais agiu com a intenção de querer obstruir as investigações. Eles afirmaram  ainda que Delcídio foi vítima de uma  'armadilha' que foi montada por Bernardo Cerveró. Para que as gravações pudessem ser realizadas, o senador foi convidado para participar de uma simples reunião de família.  

A armadilha montada por Bernardo Cerveró foi feita de forma ilegal, pois segundo os advogados, Bernardo agiu da mesma maneia que um agente secreto infiltrado.

Publicidade

No pedido apresentado ao STF, os defensores de Delcídio justficam que as provas apresentadas foram obtidas de forma ilegal, através de gravações que não tiveram a autorização do poder judiciário praa que fossem produzidas. Deste modo, elas não deveriam ser consideradas como um dos fundamnetos para que fosse requerido a prisão do senador petista.  #Lava Jato #Crime #Corrupção