O ex-presidente #Lula assumiu o ministério da Casa Civil do Governo Dilma após cerimônia de posse na manhã desta quinta-feira (17), em Brasília. Agora ocupando o principal ministério do Governo, o petista terá responsabilidade de costurar o trato com o Congresso e fazer uma reforma na economia do País. Com a nomeação de Lula, os centros econômicos já responderam, aumentando o dólar e disparando as ações da Petrobras, mas o que influencia diretamente na vida do cidadão? Entenda!

Crescimento da economia

A política econômica de Lula já é conhecida: dar crédito ao cidadão. Isso pode inflamar a economia momentaneamente e fazer com que o crescimento econômico do país, que estava previsto para esse ano ser ligeiramente menor do que em 2015, mude de figura e os números melhorem.

Publicidade
Publicidade

Porém, seria um crescimento artificial, inflado por MPs e incentivos fiscais, o crescimento sustentável está previsto apenas a partir de 2018.

Endividamento

Com mais crédito, a possibilidade de endividamento da população cresce. Durante seu governo, esse foi um dos maiores problemas da economia, pois o aumento da inadimplência é um dos efeitos negativos do aumento de crédito. A ideia de estimular o consumo é boa, porém, o problema fica por conta do modo feito, através do endividamento, não do crescimento da renda da população.

Emprego

A curto prazo, com o aumento do crédito e do consumo, a tendência é que tenha um ligeiro crescimento na criação de emprego, pois a demanda tende a aumentar e por consequência a produção também.

Inflação

Com o possível crescimento no consumo, e as empresas com um pé atrás em aumentar sua produção pelas crescentes dúvidas tanto no cenário político como no econômico, a possibilidade dos preços continuares subindo é grande.

Publicidade

Investimentos

Nesse quesito, a chegada do ex-presidente não tende a ser das melhores. Com uma economia de risco e um cenário político conturbado, o Brasil não é um dos lugares mais confiáveis para se investir o dinheiro. A luta política e na Justiça só aumenta as tensões, o dólar aumente e a bolsa caia. Essa gangorra pôde ser vista na última quinzena, cada bomba política o dólar caia, chegando a casa de R$3,60. #PT #Dilma Rousseff