Delcídio do Amaral resolveu revelar, em seu depoimento, como funcionavam as articulações políticas, que visavam esconder informações, lavar dinheiro e prejudicar o andamento da operação lava jato, que segundo ele, tinha a presidente Dilma como "cabeça". 

Não poupando nem mesmo antigos aliados políticos, Delcídio mapeia para o Supremo Tribunal Federal como o governo estava reagindo para barrar as investigações da PF, para que seus comparsas não fossem afetados com as investigações.

Na denúncia homologada pelo ministro do STF, Teori Zavascki, estão os nomes do ex-presidente Lula, #Dilma Rousseff e do Senador Aécio Neves.

Sobre Aécio Neves, Delcídio do Amaral disse que o Senador recebeu valores de Furnas, mas que não sabia precisar detalhe.

Publicidade
Publicidade

A presidenta Dilma Rousseff foi citada na delação, por tentar evitar que a Lava Jato seguisse adiante. Ele cita uma reunião que ocorreu em Portugal, em 07/07/2015, onde estavam presentes o, até então, ministro da Justiça José Eduardo Cardoso, e o ministro presidente do STF, Ricardo Lewandowski.

O Instituto #Lula, criado por José Carlos Bumlai, que também é investigado pela Lava Jato, foi mencionado e ele seria o responsável pela reforma do sítio em Atibaia.

Como se pode notar, as acusações mais contundentes são coutra o atual Governo. Do qual, o Senador delator fazia parte, e que estava à frente das articulações políticas.

Hoje, o ex-presidente Lula poderá aceitar a pasta de Ministro da Casa Civil, como forma de adquirir Foro Privilegiado, e, assim, não ser julgado em primeira instância, pelo Juiz Sérgio Mouro, já que ministros são julgados somente pelo STF, que tomará as rédeas das investigações de Lula, caso ele aceite o ministério.

Publicidade

Conforme se vê, o Brasil está sofrendo com a #Corrupção e a impunidade dos acusados. O brasileiro está cansado de sofrer pela incompetência daqueles que governam este país, e as manifestações em todo Brasil mostram isso.

Todos querem um país onde as leis sejam cumpridas, e os culpados presos. Chega de corrupção, onde os maiores prejudicados são os cidadãos, que trabalham dia após dia para ter uma vida digna e honesta.