O vice-presidente do #Corinthians, André Luiz de Oliveira, foi preso pela polícia federal na manhã desta terça-feira, dia 22 de março, em São Paulo. Durante uma averiguação, foram encontradas na residência do dirigente duas armas de calibre 38. O cartola "André Negão", como é conhecido no clube, já estava sendo investigado por supostamente ter recebido propina da empreiteira Odebrecht, durante a construção da Arena Corinthians.

O dirigente tinha em posse, em seu apartamento no Tatuapé, bairro da zona leste da capital paulista, duas pistolas calibres 38. Levado para depor sobre sua possível participação no escândalo da #Lava Jato, que teve nova fase deflagrada nesta terça-feira, o vice-presidente corintiano depôs sobre a propina.

Publicidade
Publicidade

A Polícia Federal investiga se André Negão teria recebido aproximadamente R$ 500 mil durante a construção do estádio, que foi uma das principais sedes da Copa do Mundo do Brasil, em 2014.

O nome de André Luiz de Oliveira foi associado ao de Andrés Sanchez, ex-presidente do Corinthians e, atualmente, deputado federal, e que mantém vínculos com o ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, um dos principais nomes investigados na Operação Lava Jato. André Negão é chefe de gabinete de Sanchez, assumiu a vice-presidência do Corinthians, em 2015, e está cotado para concorrer ao cargo máximo no clube nas próximas eleições pela chapa "Renovação e Transparência".

O dirigente deve ser solto pelo porte ilegal das armas ainda nesta terça-feira, após pagamento de fiança. O Sport Club Corinthians Paulista divulgou uma nota oficial, reiterando que a instituição irá agir de acordo com o que for "justo e correto", e está, desde já, cooperando com as investigações quanto ao pagamento de propinas envolvendo a empreiteira Odebrecht.

Publicidade

O Corinthians ainda se prontificou a tomar todas as medidas cabíveis se for comprovada a participação de membros do clube em casos fraudulentos.

Andrés Sanchez já se manisfestou diversas vezes sobre a questão de o associarem a Luiz Inácio Lula da Silva e rebateu todas as acusações que recebeu até então. Deputado Federal pelo Partido dos Trabalhadores, e ainda nome forte dentro do Corinthians, Sanchez acredita que está sendo investigado por sua amizade com Lula, mas não tem nada a esconder. Inclusive, pretende que a Operação Lava Jato inclua a Arena Corinthians como parte das investigações para saber se houve alguma ilegalidade. #Futebol