#Dilma Rousseff foi mais uma vez, a Dilma Rousseff no início da noite dessa sexta-feira, 11. A presidente presentou os brasileiros com mais uma gafe, onde diz que renuncia enquanto explicava que não iria renunciar. Parece confuso, mas foi exatamente isso que aconteceu durante a fala de Dilma: oratória confusa.

Dilma falava que pela a sua trajetória e pelo respeito que tem pelo povo, que ela renunciava, mas depois gaguejou umas três vezes para corrigir sua fala e dizer: ‘Me resigno!’.

Apesar de não ter sido intencional, as palavras de Dilma soaram como um momento divertido em meio ao turbilhão de acusações e polêmicas que os ‘companheiros’ do PT têm sido alvo.

Publicidade
Publicidade

Muitos internautas recomendaram que a presidente renuncie logo ao cargo para parar de passar vergonha durante seus discursos. Outros mencionaram outras pérolas da petista, como o dia que falou para estocar vento e um episódio surreal envolvendo ‘mandiocas’.

Não demorou muito e as palavras de Dilma tornaram-se as mais comentadas das redes sociais e o vídeo com a sua ‘pérola’, logo tornou-se viral na internet. Assista-o agora:

 

Falando sério!

Apesar do momento vergonha alheia da presidente, a política brasileira é um assunto sério que carece de cuidados especiais com urgência. O atual governo é o com menor aprovação da história da democracia brasileira, superando, inclusive, a Era Collor.

Tal insatisfação não é à toa: o Brasil vive uma de suas piores fases, sobretudo na economia. Enquanto a corrupção se tornou um fato insustentável para o brasileiro, postos de trabalho têm sido fechados e a inflação tem prejudicado milhões de pessoas todos os dias.

Publicidade

Segundo ‘O Globo’, Dilma Rousseff pode ser alvo de investigações do MPF após a homologação da delação de Delcídio. Além disso, a presidente terá de aguentar uma mega manifestação pedindo seu impeachment no domingo, 13.

Por falar em #Impeachment, o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, informou que os parlamentares pretendem começar a discutir o impeachment na próxima semana. Ao iniciar o julgamento, Dilma deve ser afastada por até 180 dias até que uma decisão seja tomada e em seu lugar assumirá o vice, Michel Temer.

Na ausência de Michel por qualquer motivo, Eduardo Cunha, como presidente da Câmara dos Deputados, assume o posto de presidente do Brasil, conforme determina lei em vigor. #entrevista