A crise política enfrentada pelo país torna-se cada vez mais avassaladora em diversos aspectos e atinge também setores ligados à área de segurança nacional, haja vista que oficiais e representantes do setor já começam a se manifestar publicamente, demonstrando total descontentamento com os rumos tomados pelo governo Dilma Rousseff, imerso na grave crise política e ética que castiga o país. 

Após episódio recente, envolvendo o general-de-brigada do Exército brasileiro, Paulo Chagas, que criticou duramente o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Teori Zavascki, por retirar das mãos do juiz Sérgio Moro, todo o processo de investigação que envolve o ex-presidente Lula, foi a vez do coronel Adílson Moreira suscitar enorme polêmica, de modo contundente, á presidente Dilma e seu #Governo.

Publicidade
Publicidade

Ele é chefe da Força Nacional de Segurança, órgão vinculado ao Ministério da Justiça.

O coronel Moreira pediu demissão do comando da Instituição militar (FNS) e encaminhou e-mail  aos seus subordinados, recheado de críticas à atuação da presidente #Dilma Rousseff. Moreira foi categórico ao declarar que  sua família teve papel fundamental em exigir sua saída do comando da FNS, afirmando que "não precisa ser muito inteligente para verificar que estamos sendo conduzidos por um grupo sem escrúpulos, inclusive com a participação da presidente", afirmou categoricamente. O coronel foi ainda mais enfático ao afirmar que " se sente cada vez mais envergonhado, em se tratando do que anteriormente eram somente rumores, porém,agora se concretizaram", disse. Ele ressaltou ainda, que a administração do governo petista não está, de forma alguma, interessada no bem do país, mas sim em manter o poder a qualquer custo.

Publicidade

Segurança nas Olimpíadas

A demissão do coronel, chefe da Força Nacional de Segurança e consequentemente de toda a diretoria, justamente restando poucos meses para o início dos Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro trouxe grande preocupação ao governo, já que se conta com todo o suporte e proteção ao evento por parte da FNS. Um efetivo de mais de 10 mil homens da instituição militar é esperado para garantir a segurança de um dos mais importantes eventos esportivos do mundo. Em nota, o Ministério da Justiça informou que considera algo extremamente grave as declarações do coronel e estuda, inclusive, abrir um inquérito administrativo para apurar todo o ocorrido, além de provável punição a Moreira. #Corrupção