#Eduardo Cunha, presidente da Câmara dos Deputados, confirmou nessa quarta-feira, 23 de março, que fez solicitações de doações da empresa Odebrecht para seu partido PMDB, porém nega que tenha feito uso das doações em sua campanha política. Eduardo Cunha, réu na Lava-Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), alega que não viu a planilha da empresa e também afirma que não recebeu recurso de caixa 2, ressaltando que só recebe doações de caixa 1. O peemedebista comentou que as doações da empreiteira Odebrecht foi para o PMDB, e não tem nada a ver com sua campanha, Cunha ainda mencionou que as doações foram destinadas para à campanha de Henrique (Eduardo Alves).

Publicidade
Publicidade

"Caranguejo"

Outro detalhe que chama atenção é que na planilha da empreiteira Odebrecht, Eduardo Cunha tem o apelido de "Caranguejo", porém ele diz não saber o significado desse apelido e riu, "quem apelidou é quem tem que dizer". Cunha busca a todo momento se livrar de acusações e demonstra serenidade nos fatos. 

Processo do impeachment

A cada momento, aumenta o número de parlamentares a favor do distanciamento da petista Dilma Rousseff e a lista da empreiteira Odebrecht não deverá intervir na opinião dos parlamentares a favor do #Impeachment, acredita Cunha. O presidente da Câmara dos Deputados está tentando agilizar o impeachment enquanto, por outro lado, há manobras para adiar um processo que está no Conselho de Ética contra ele, essas manobras estão há mais de três meses e tem o apoio dos seus aliados.

Publicidade

Eduardo Cunha avaliou e disse que os petistas agem de modo diferente na comissão do impeachment, como se aparentemente a linguagem do PT seja de uma forma, mas na realidade é outra: "O discurso do PT é um e a prática é outra", explicou Cunha. Na comissão do impeachment, Cunha comentou que o PT quer tudo e reafirmou mais uma vez que o PMDB tem que ter compromisso com o País e com aquilo que ele entende que é melhor para o País. Eduardo, se mostrando contra a presidente petista afirma que o PMDB precisa se livrar do Partido dos Trabalhadores.  #Governo