O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o senado do PSDB #Aécio Neves (MG) lideravam todas as pesquisas o Instituto Datafolha divulgados nos últimos meses, mas parece que agora, depois de tantos escândalos envolvendo seus nomes, os dois figurões perderam terreno. A ex-senadora #Marina Silva (Rede) é quem encabeça as pesquisas presidenciais em todos os cenários feitos pelo Datafolha.

A pesquisa foi feita pelo instituto nos dias 17 e 18 de março. A margem de erro da pesquisa é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos.

Lula x Aécio x Marina

Os três nomes mais citados entre os entrevistados pelo Datafolha foram os de Lula, Aécio e Marina.

Publicidade
Publicidade

Num cenário em que os três são candidatos à presidência em 2018, os números são muito próximos, chegando a um empate técnico se considerarmos os 2 pontos percentuais em um cenário favorável ao ex-presidente Lula.

Marina Silva – 21%

Aécio Neves - 19%

Luiz Inácio Lula da Silva – 17%

Perda de prestigio

O senador Aécio Neves foi o candidato que perdeu mais pontos desde a pesquisa divulgada pelo Datafolha em fevereiro.

Na pesquisa anterior, Aécio tinha 24% dos votos em um possível cenário de disputa com Lula e Marina. A queda do tucano foi de 5 pontos percentuais. O senado chegou a ter 27% numa pesquisa feita em dezembro do ano passado.

O ex-presidente Lula registrava 20% das intenções de voto em fevereiro – perdeu 3% desde então.

Vantagem da crise política

Quem parece estar sabendo aproveitar o atual cenário político conturbado e cheio de acusações para todos os lados é Marina Silva, que até o momento não teve seu nome citado em nenhuma investigação.

Publicidade

A candidata pela Rede registrava em fevereiro 19% das intenções de voto e ocupava a terceira posição numa possível corrida presidencial. Depois de um mês de delações e investigações em curso, que seus dois principais concorrentes parecem estar envolvidos até o pescoço, a ex-senadora assumiu a liderança com 21%, ganhando 2 pontos percentuais, diferente dos outros dois possíveis candidatos, que perderam espaço. #Dilma Rousseff