A Operação #Lava Jato da Polícia Federal está entrando em sua fase derradeira e o cerco à atual presidente #Dilma Rousseff e ao ex- presidente Lula parece ter novos capítulos a cada dia. Dessa vez, o senador Delcídio Amaral (PT-MS) colocou mais lenha na fogueira ao afirmar que houve desvio de dinheiro das obras da Usina de Belo Monte para a campanha eleitoral de Dilma em 2014, segundo reportagem da revista Isto é.

A denúncia foi feita por Delcídio Amaral aos investigadores da Polícia Federal em sua delação premiada e apontou como mentores do esquema de desvios de recursos da Usina de Belo Monte: os ex-ministros Erenice Guerra (Casa Civil), Silas Rondeau (Minas e Energia) e Antônio Palocci (Fazenda).

Publicidade
Publicidade

Segundo relato de Delcídio, foram movimentados R$ 25 bilhões, sendo que R$ 25 milhões foram desviados para campanhas eleitorais de 2010 e 2014

De acordo com o depoimento, aproximadamente R$ 25 bilhões foram movimentados pelos ex- ministros e cerca de R$ 45 milhões foram destinados às campanhas eleitorais do PT e do PMDB, coligados nas eleições de 2010 e 2014, que elegeram Dilma e Michel Temer como vice-presidente.

A forma de desvio de dinheiro acontecia por meio de superfaturamento nas etapas das obras, tanto nas etapas de compra de equipamentos (desviados cerca de R$ 4,5 bilhões) quanto nas etapas de realização de obras civis (desviados cerca de R$ 19 milhões).

O esquema de desvio começou quando Dilma Rousseff ainda era ministra da Casa Civil em 2010

O esquema de corrupção revelado por Delcídio começou ainda em 2010, quando a atual presidente Dilma Rousseff ainda era ministra da Casa Civil.

Publicidade

Tudo começou com a escolha do consórcio para construção da usina hidrelétrica.

Outra participante do esquema acusada por Delcídio é a ex-secretária executiva de Dilma, Erenice, que sempre foi considerada o braço direito de Dilma em todas as suas ações na função de ministra.

Outras figuras importantes citadas por Delcídio no esquema de desvio de verbas da usina de Belo Monte foram Edinho Silva, Duda Mendonça, Zilmar Fernandes, Aécio Neves (PSDB) e Renan Calheiros (PMDB- AL). #Lula