A presidente #Dilma Rousseff convocou nesta sexta-feira, dia 11, no Palácio do Planalto, os repórteres para uma entrevista coletiva a respeito do cenário político brasileiro dos últimos dias. Entretanto, o foco principal foi dar uma resposta ao senador Aécio Neves, que havia sugerido que a presidente deveria deixar o cargo para o bem do país. A petista criticou a postura do senador tucano e rebateu as suas afirmações, ao deixar bem claro que foi eleita segundo a vontade da maioria da população brasileira.

As declarações de Aécio que irritaram Dilma

Nesta última quarta-feira, dia 9, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) declarou que a melhor saída para o país seria que a presidente renunciasse ao cargo.

Publicidade
Publicidade

Do alto da tribuna, o senador, em seu discurso afirmou que Dilma deveria ser generosa com o país e, assim, seria melhor que deixasse o cargo, a fim de permitir que o Brasil pudesse iniciar uma nova fase na sua história. O tucano disse que a petista já deveria ter compreendido que perdera as mínimas condições de governar.

A resposta direta da presidente ao discurso tucano 

Dilma apressou-se em responder as declarações de Aécio e criticou a postura do parlamentar em relação às sua afirmações: "Eu acredito que não é absolutamente correto por parte de nenhum líder da oposição pedir a renúncia de um cargo de presidente legitimamente eleito pelo povo, sem dar elementos comprovatórios de que eu tenha, de alguma forma, ferido qualquer inciso da Constituição ou qualquer previsão que haja na Constituição para meu impeachment", afirmou a presidente.

Publicidade

Aproveitando a ocasião, Dilma se dirigiu diretamente aos repórteres e fez um apelo para que todos ali presentes testemunhassem que a mesma não tinha cara de alguém que iria renunciar. Segundo a presidente, quem fala em sua renúncia é por que não encontrou elementos suficientes para que a sua saída fosse defendida, ao referir-se ao processo de impeachment.

Questionada quanto ao fato de que estaria resignada com a possibilidade de deixar a presidência, Dilma declarou que não tem e nunca teve este tipo de postura diante da vida. 

Dilma desafia aos que defendem o seu impeachment

Ao comentar sobre a questão do impeachment, Dilma desafiou seus opositores a iniciarem o processo: " ...Ou então tentem o impeachment, e nós vamos disputar isso, nós vamos discutir com a sociedade, com o país inteiro por que querem tirar um presidente legitimamente eleito. Não há base para qualquer ato contra a minha pessoa", afirmou.

A defesa de Lula

Antes da entrevista coletiva, Dilma já havia se reunido com alguns reitores de algumas universidades brasileiras, onde saiu em defesa do ex-presidente. Ela repudiou a atitude dos promotores ao pedirem a prisão de Lula e afirmou que os mesmos haviam passado de todos os limites. Quanto à possibilidade do petista vir a ser ministro, a presidente disse que se sentiria honrada em tê-lo no #Governo, entretanto, não iria discutir este assunto naquele momento. #PT