O jornalista Ricardo Noblat, em matéria para  "O Globo", fez uma grave denúncia a respeito do já polêmico impeachment da presidente do Brasil, #Dilma Rousseff. As denúncias já estão sendo apuradas e o processo do #Impeachment já está encaminhado. A defesa da mandatária do país será apresentada na semana que vem.

A oposição se mobilizou e continua se movimentando para que o impeachment termine com a retirada de Dilma do poder, mas o governo não está parado, bem pelo contrário, tem feito muito contatos, propostas e parcerias para fazer com que o processo não dê em nada e, de acordo com o jornalista do "O Globo", Dilma pagará R$ 1 milhão para aqueles que votarem contra o impeachment.

Publicidade
Publicidade

Esse valor de R$ 1 milhão seria entregue em obras que os políticos apontariam em seus redutos eleitorais, ou seja, eles ajudam Dilma Rousseff a continuar na presidência do Brasil e ela lhes fará um agrado, liberando obras para onde eles quiserem, independente se o local está precisando ou não, sem qualquer controle ou fiscalização.

Tem ainda a oferta de R$ 400 mil para aqueles que simplesmente faltarem à votação. Sem mencionar os cargos que estão sendo oferecidos para quem ficar do lado dela neste momento tão difícil. E novas ofertas ainda estariam por vir.

E como a situação da presidente está piorando a cada dia, alguns deputados preferiram esperar até semana que vem para falarem o que querem para ficar do lado da petista, pois há uma expectativa de que ela terá que pagar muito mais caro para conseguir apoio político.

Publicidade

Dilma pretende liberar toda esta fortuna através de emendas que serão apresentadas ao Orçamento da União, e tem certeza que serão liberadas.

Para não ser tirada da presidência, Dilma vai precisar de pelo menos 172 votos e, pelos cálculos do governo, já pode contar com mais de 100 aliados, mas a meta é conseguir pelo menos 290 para ter uma margem de tranquilidade, assim, caso alguns mudem de ideia na última hora, ela não será prejudicada.

Nesta quinta-feira (31), milhares de pessoas saíram pelas ruas de várias cidades contra o impeachment e gritando “Não vai ter golpe”. O PT acompanhou tudo de perto e se mobilizou para se fortalecer ao máximo neste momento, pois momentos como este estão cada vez mais raros, principalmente no Congresso. #Corrupção