A presidente do Brasil, #Dilma Rousseff, compareceu ao lançamento da terceira fase do 'Minha Casa Minha Vida', onde discursou por alguns minutos e acabou abordando a atual situação política brasileira.

Dilma declarou que a Constituição Federal de 1988 determina que o presidente da república seja eleito através do voto livre e direto dos cidadãos, de forma que represente a maioria dos eleitores. De tal forma, segundo a presidente, o país não é constituído de um #Governo parlamentarista, onde o mesmo é eleito pelo voto proporcional, assim sendo, não há o que se falar em derrubar um governo pelo simples fato de não gostar ou não concordar que este tenha sido eleito.

Publicidade
Publicidade

Já quando o assunto foi o #Impeachment, Dilma afirmou que a lei brasileira prevê sim a formalidade de destituição de um político por crime de responsabilidade, entretanto, é preciso a condição comprovada de crime, pois sem isso, consumar o impeachment é o mesmo que um golpe.

Segundo a chefe de Estado petista, é lamentável que o Brasil se encontre em clima de ódio e intolerância e que o preconceito já tinha sido deixado para trás pelos brasileiros, mas não é o que se tem visto atualmente. Ela concorda que as pessoas sejam livres para divergir e discordar da politica, dos governantes e de qualquer assunto que seja de relevância para a sociedade, mas que essa liberdade não justifica a atual intolerância existente no país.

Para finalizar, desabafou que se alguém quer tirar um presidente eleito de acordo com determinação legal explicitada na CF, então "O que não farão com meu povo".

Publicidade

Caos e desentendimentos

Antes mesmo das palavras de Dilma, artistas; a maior parte sumidos da mídia há algum tempo; políticos e representantes de grupos de minorias, têm dado um tiro no pé ao defender o governo, bem como muitos não aceitam as acusações contra Lula e o clima de saturação em relação ao PT e condenados pela Lava Jato.

Lula conferiu uma entrevista coletiva na última segunda-feira, 28, em que responsabilizou a Operação Lava Jato pela crise econômica nacional, pois segundo ele, a exposição que a PF tem feito, em conjunto com parte da 'mídia', tem feito com que investimentos estrangeiros deixassem de serem feitos no país, bem como empregos deixaram de ser gerados.

A declaração de Lula em junção com a atual ruptura do PMDB com o governo e curso do processo de impeachment, acabaram deixando muitas pessoas alteradas nas redes sociais. Monica Iozzi, por exemplo, acabou perdendo muitos fãs por mostrar-se contrária ao impeachment e realizar criticas gratuitas ao deputado federal Jair Bolsonaro.

Wagner Moura (que ficou famoso por interpretar um capitão que lutava contra a corrupção em 'Tropa de Elite'), também assinou o atestado de repúdio de milhões de pessoas ao realizar declarações polêmicas a favor da permanência de Dilma no poder e contrários aos que querem a sua queda.