O clima esquentou não só em Brasília, mas em todo o país com diversas cidades sendo tomadas por manifestantes pedindo a saída da presidente Dilma e também a prisão de #Lula.

Dilma Rousseff resolveu divulgar uma nota na noite na noite desta quarta-feira (16) explicando tudo sobre a conversa telefônica que teve com o atual ministro da Casa Civil, Lula. Esta conversa foi gravada pela Polícia Federal e Sérgio Moro autorizou a divulgação de todo conteúdo após a retirada do sigilo do processo.

De acordo com a presidente, a conversa tem um "teor republicano" e Dilma aproveitou para dizer que repudia com veemência esta divulgação feita.

Publicidade
Publicidade

Ela também prometeu tomar todas as medidas necessárias para corrigir o que classificou de "flagrante violação da lei e da Constituição Federal".

A cerimônia para a posse de Lula como ministro será nesta quinta-feira (17) às 10 horas no Palácio do Planalto e certamente contará com milhares de pessoas do lado de fora protestando, mas nem o próprio Luiz Inácio Lula da Silva sabe se irá ir à sua própria cerimônia e Dilma garantiu que é por este motivo que ela encaminhou até ele o termo de posse para que pudesse assinar.

Além de Lula, irão tomar posse o ministro da Justiça, Eugênio Aragão e também o ministro da Secretaria de Aviação Civil, Mauro Lopes. Jaques Wagner passa a ser chefe do gabinete pessoal que agora terá status de ministério.

Na nota divulgada, a presidente afirma que todas as medidas judiciais e administrativas serão tomadas contra o juiz Sérgio Moro por causa do vazamento do grampo telefônico.

Publicidade

GRAMPO TELEFÔNICO DE LULA

Lula telefonou para o ministro da Fazenda, Nelson Barbosa e reclamou da Polícia Federal que estaria fazendo um "ótimo trabalho" e prejudicando o Instituto Lula. O ex-presidente sugeriu que o ministro da Receita fosse fazer esta investigação em outras empresas, como no Instituto Fernando Henrique Cardoso.

Não só em Brasília, mas em outras diversas cidades por todo o país, pessoas estão saindo à rua para pedir o impeachment de Dilma e a prisão de Lula. #Dilma Rousseff #Corrupção