Ao que parece, a presidente #Dilma Rousseff está temendo as manifestações populares marcadas nas redes sociais a favor do seu impeachment para o próximo domingo (13).

A presidente passou praticamente a segunda-feira (7) inteira - parte da tarde e início da noite - reunida com os ministros Ricardo Berzoini (Secretaria Geral), Jaques Wagner (Casa Civil) e o assessor especial Giles Azevedo para uma reunião de última hora para discutir o tema, segundo fontes próximas do #Governo. O ministro Aldo Rebelo (Defesa) também se integrou ao grupo mais tarde.

Na parte da manhã, ela finalizou um compromisso em Caxias do Sul que se tratava do Programa Minha Casa Minha Vida.

Publicidade
Publicidade

A principal preocupação é que haja um enfrentamento de manifestantes a favor do impeachment e de militantes do PT favoráveis ao governo, que também já se reuniram para combinar uma manifestação no domingo em ato a favor do PT e da continuidade do governo Dilma.

Presidente nacional do PT, Rui Falcão também alertou sobre o risco de episódios de #Violência no domingo e também sobre o risco de um aumento na crise política caso esses atos ocorram

Rui Falcão, que atualmente é o presidente nacional do PT, esteve nesta segunda-feira pela manhã no Palácio do Planalto para “alertar” os ministros Ricardo Berzoini e Jaques Wagner sobre a iminente possibilidade de episódios de violência.

Rui Falcão percebeu uma intensa movimentação da militância do partido contra a condução coercitiva de Lula decretada pelo juiz Sérgio Moro, ocorrida na última sexta-feira (4).

Publicidade

e teme que as manifestações da militância saiam do controle e virem atos de violência e vandalismo.

O principal receio dos petistas é que manifestações violentas e até fatais possam ser atreladas ao governo Dilma e possam “manchar” a imagem do PT perante a opinião pública. O temor também é por conta de um agravamento da crise política do país, já que na última sexta-feira foram registradas diversos enfrentamentos violentos entre manifestantes pró e contra o governo Dilma e também por parte da militância do PT contra a imprensa.