As negociações e as articulações do governo para “reconquistar” o apoio do PMDB estão aquecendo o Congresso Nacional. O governo fez uma oferta de cargos para dividir a base aliada, atitude que obrigou o vice-presidente #Michel Temer a desistir de uma viagem a Portugal que ia fazer nessa quinta-feira (24) para convencer seus partidários que o “desembarque” do governo é a melhor opção.

O rompimento do PMDB com o governo está cada vez mais próximo de acontecer. A expectativa é que na próxima terça-feira (29), seja oficializado essa importante decisão que certamente agravará ainda mais a situação do impeachment de Dilma Rousseff que perderá seu principal aliado.

Publicidade
Publicidade

Temer decidiu ficar no Brasil para conquistar mais apoio e fortalecer desembarque do governo

Agora com Temer no Brasil a expectativa é que o desembarque do PMDB do governo seja consumado. Temer possui força e uma rede de apoiadores com mais influência nesse jogo político estratégico.

Um desses importantes apoiadores do plano de Temer, são os peemedebistas do Rio de Janeiro que já anteciparam sua decisão e anunciaram que irão votar a favor do desembarque do governo na reunião do diretório nacional do PMDB prevista para acontecer na terça-feira.

Em reunião com Dilma, os sete ministros do PMDB se declararam contra o rompimento com o governo

Atualmente o PMDB conta com sete ministérios no governo Dilma, Saúde, Agricultura, Ciência e Tecnologia Minas e Energia, Turismo, Aviação Civil e Portos.

Publicidade

Todos os ministros declararam apoio a presidente na reunião realizada nessa quarta-feira (23) e se comprometeram a não facilitar os planos de Temer.

Portanto, o principal desafio de Temer será lutar contra esse grupo de ministros que não querem abandonar seus cargos.

O plano do governo é conquistar 172 votos e impedir o #Impeachment

A grande meta do governo na atualidade é se manter no poder e para que isso aconteça será necessário conquistar 172 votos para o cancelamento do processo de impeachment.

O governo já começou a articular para conseguir conquistar seu intuito sendo que nessa quarta-feira, foi publicado em Diário Oficial a demissão de Antônio Henrique Pires, presidente da Fundação Nacional de Saúde e aliado de Temer.

Essa atitude demonstra a vontade do governo de atender as demandas dos deputados para conquistar mais aliados e mais apoio em sua base.

Então agora é aguardar para ver quem será o vencedor desse braço de ferro que pode resultar no impeachment da presidente #Dilma Rousseff.