Nesta segunda-feira (28), o ex-presidente Luiz Inácio #Lula da Silva concedeu entrevista a 24 jornalistas de vários veículos internacionais. Ele falou sobre a saída do PMDB do governo e fez críticas ao Juiz paranaense Sérgio Moro. Lula falou para os jornalistas, por mais de duas horas. Estavam presentes na entrevista, representantes dos principais meios de comunicação mundiais como: "El País" e de agências como a “AP”, ‘Reuters”, “Efe” e “France Presse”, e do The New York Times

Sobre o PMDB Lula disse que pode acontecer o mesmo que ocorreu em 2003, quando houve uma coalizão sem o apoio da direção. Lula também falou sobre o Juiz Sérgio Moro, que é o juiz responsável pelas investigações da Operação Lava Jato.

Publicidade
Publicidade

Lula disse que o Juiz é competente, mas que foi "picado pela mosca azul” uma alusão às pessoas que ficam deslumbradas com o poder.

Lula já havia discursado na semana passada para os sindicalistas e afirmado que a Operação Lava Jato poderá trazer consequências negativas para o Brasil e uma dessas consequências é o aumento do desemprego. Lula, na ocasião, falou para que os sindicalistas procurassem a força tarefa e o Juiz Sérgio Moro, para saber se eles estão analisando os prejuízos que a operação já deu para o Brasil.

PMDB fora do governo

O ex-presidente Lula acredita que a possível saída do PMDB do governo não seja um abandono total. Ele lembrou o inicio do governo petista, em 2003, quando parte do PMDB apoiava o governo mesmo sem uma aliança com a direção peemedebista. Mesmo assim, Lula lamentou o rompimento da aliança com o PMDB.

Publicidade

O ex-presidente afirmou que vê com tristeza a saída do PMDB do governo e salientou que Dilma não quer a saída dos ministros, e nem eles pretendem abandonar suas pastas.

O ex-presidente falou também que o PMDB tem alguns estados que nunca apoiaram totalmente o governo e que ele irá procurar Michel Temer, presidente do partido e Vice-Presidente da República,  para entender o que está acontecendo.

No final da entrevista, Lula fez novamente um apelo para que deixem a Dilma governar. #Dilma Rousseff #Impeachment