A sexta-feira (18) foi agitada até nas últimas horas, pois, agora à noite, o ministro do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes, suspendeu a posse de #Lula no cargo de Ministro da Casa Civil.

O ministro do STF ainda determinou que o ex-presidente, Luiz Inácio Lula da Silva, continue sendo investigado pelo juiz Sérgio Moro que é o responsável pela apuração de todo o esquema de corrupção instalado na Petrobras.

Importante ressaltar que esta decisão de Gilmar Mendes é provisória e, por isso, o Governo já está se preparando para recorrer ao plenário do Supremo, só que não há nenhuma sessão marcada para semana que vem.

Tanto o PPS como também o PSDB apresentaram ações junto ao STF, onde era questionada a legalidade de Luiz Inácio Lula da Silva como ministro da Casa Civil.

Publicidade
Publicidade

O ministro Gilmar Mendes entendeu que a posse de Lula, como ministro de Dilma Rousseff, pode sim ter sido uma "fraude à Constituição", uma vez que fique comprovado o "desvio de finalidade" feito pela presidente Dilma Rousseff. De acordo com Gilmar Mendes, há fortes indícios de que a petista teve como principal e único objetivo, colocar o ex-presidente na Casa Civil apenas para que o Supremo assumisse as investigações de Lula e não mais o juiz Sérgio Moro.

Mendes chegou a afirmar que não há dúvidas sobre o medo do petista de ser preso e processado criminalmente, logo em seguida, e até citou alguns dos diálogos das gravações telefônicas feitas com autorização de Sérgio Moro.

Foram citadas também as conversas de Rui Falcão, presidente do Partido dos Trabalhadores, com Jaques Wagner, que é chefe de gabinete de Dilma.

Publicidade

O ministro foi duro ao afirmar que nenhum "Chefe do Poder Executivo" pode ser o dono dos destinos do Brasil, que deve seguir seus princípios constitucionais.

E ainda, de acordo com a avaliação do ministro, o que ficou claro com essa posse de Lula é que o Supremo não faria justiça com o ex-presidente, e somente Sérgio Moro estaria interessado em fazer com que a lei prevalecesse.

Já são 13 ações entregues ao Supremo, pedindo para cancelar a posse de Lula e é o ministro Gilmar Mendes que está com a maioria delas, sendo 9 no total.

O nome de "Gilmar Mendes" é o assunto mais comentado no Twitter, na noite desta sexta-feira (18).

#Impeachment #Protestos no Brasil