As manifestações contra o governo federal ganharam um novo reforço. A rede de fast food 'Habib's' fez campanha contra o governo de Dilma e distribuiu broches, cartazes e fitas para os clientes que forem participar dos protestos.

O empresário e presidente da rede Habib's afirmou que participará com a família das manifestações de 13 de março contra o governo da presidente Dilma. Intitulada 'Fome de Mudança' a campanha da empresa arrisca e inova ao mesmo tempo. A rede foi a única empresa do ramo a se posicionar sobre a causa.

A campanha tem a intenção de incentivar a população a se manifestar contra o que chamou de "deterioração econômica pela qual atravessa o país."

Alberto Saraiva, presidente do grupo Habib's, declarou que a empresa seguirá entregando os materiais com palavras de ordem contra o governo.

Publicidade
Publicidade

Os produtos em sua maioria são broches e cartazes nas cores da bandeira nacional, a própria empresa enviou para a imprensa e demais veículos de informação as imagens dos kits que está distribuindo aos seus clientes.

Mais que isso. A rede informa à população que passará por uma reformulação de sua marca e usará as cores da bandeira do Brasil.

A empresa Habib's fez questão de notificar que "não faz campanha partidária" e que "não acredita em siglas ou coligações" e sim em "homens e mulheres capazes de fazer a diferença pelo país."

Segundo informações da empresa a rede de fast food Habib's possui cerca de 22 mil funcionários em suas 430 lojas distribuídas por todo o país.

A estimativa da empresa é de distribuir cerca de 150 mil cartazes e broches contrários ao governo federal e em apoio às manifestações de 13 de março.

Publicidade

Confira a nota do presidente do grupo Habib's: "Nosso país conseguiu muitas conquistas sociais e econômicas, porém estamos chegando ao ponto de perdê-las. Isso não pode acontecer e todos precisamos protestar."

O Planalto observa com muita atenção à adesão que terá a 'mega-manifestação' como está sendo anunciada nas redes sociais. A presidente que já não encontra o apoio político de que tanto precisa poderá deixar de contar com o pouco apoio da população que ainda tem. #Crise #Impeachment