A situação atual da Presidente #Dilma Rousseff nunca esteve mais próxima do impeachment desde a abertura do mesmo, em 02 de dezembro de 2015. Na tarde daquela quarta-feira, o Presidente da Câmara, Eduardo Cunha, aceitou o pedido de impeachment da Presidente. E agora o PDMB, fiel protagonista do Governo, decretou o prazo de 30 dias para avaliar se vai continuar apoiando ou não o governo do PT.

Desde a abertura do pedido muitos novos fatos foram adicionados a essa história e nos últimos dias as delações premiadas do Senador Delcídio Amaral e do Deputado Pedro Corrêa parecem ter jogado luz sobre o Governo e o ex-presidente Lula.

Publicidade
Publicidade

O PMDB que até então vinha se mantendo firme como base de sustentação, apesar de algumas dissidências, como o Presidente da Câmara, já está trabalhando o jogo político com partidos de oposição, visando um futuro governo do vice Michel Temer.

A Carta de Temer

O Vice-Presidente já vinha sinalizando que a situação era delicada e, desde que vazaram a sua carta para a impressa, a situação encontra-se bastante frágil politicamente. A desconfiança que antes existia e foi exposta pela carta deu lugar a um sentimento de preocupação com uma crise gravíssima.

Convenção PMDB

A convenção do PMDB que reconduziu Michel Temer ao posto de Presidente Nacional do Partido ocorreu dia 12/03, em Brasília. Lá estiveram presentes todos os principais líderes do partido.

A tônica do evento foi de críticas ao governo Dilma e a defesa do rompimento com o governo.

Publicidade

O que acabou ficando definido que ocorreria após uma avaliação de 30 dias.

Ponte para o Futuro

No último encontro do PMDB, em novembro passado, o partido apresentou alternativas para superar #Crise econômica por meio do documento “Uma ponte para o futuro”, onde foram expostas soluções e ações que deveriam ser tomadas pelo governo.

O documento criado por Michel Temer fez uma análise prévia denominada “Um retrato do presente” e nele faz afirmações como: “O Brasil encontra-se em uma situação de grave risco”, “O Estado brasileiro vive uma severa crise fiscal” ou mesmo “Recuperar a capacidade de crescer a uma taxa próxima do nível histórico do século XX”.

O PMDB encontra-se no governo desde a primeira eleição do presidente Lula e, apesar de estar cada dia mais dividido, já poderia ter realizado as pontes do futuro. O fato é que algumas lideranças importantes, além do Vice-Presidente e dos Ministros,ainda  apoiavam o Governo, fato este que como demonstrado no último encontro está cada vez mais distante. #Crise no Brasil